05
Apr
2011
Chegando em Johanesburgo
Escrito por Adriana Miller

Cheguei!

Cheguei em Johanesburgo hoje de manha e já tive um dia acupadissimo no escritorio, que graças a Deus acabou cedo, porue estava arrasada depois do voo noturno!

O voo saiu de Londres ontem de noite, e tinha tudo pra ser otimo, mas eu cometi um pequeno erro – cai no sono antes mesmo do avião decolar (eu sempre faço isso! Não consigo me controlar…), mas acabou que o voo atrasou mais de 1 hora, e depois desse meu “cochilo” não consegui mais engrenar num sono de verdade durante a noite toda (11 horas!!). Pelo menos a Africa do Sul tem apenas 1 hora de diferença em relação a Inglaterra, então não to sofrendo com jet lag.

Então por enquanto não consegui ver nada da cidade, e nem sei se conseguirei… Fico aqui até sexta feira e tenho todos os dias ocupadissimos com reuniões.

Mas oque vi até agora não me impressionou. Chegar em Jo’burg é como chegar no Rio – uma avenida enorme que conecta o aeroporto até a cidade, cercada de favelas por todos os lados. A diferença é que no Rio, voce tem uma cidade pra “chegar”, mas em Johanesburgo não.

Estou hospedade em Sandton, que é o novo centro comercial e financeiro da cidade, onde todas as grandes empresas e bancos se mudaram depois do fim do apartheid. O hotel é otimo, e o escritorio do BAML fica extamente em frente ao Sandton City, que é o maior shopping da Africa.

Engraçado como em poucas horas no solo Africano já presenciei varios dos supostos estereotipos que sempre ouvimos falar sobre a Africa do Sul… A diferença entre brancos e negros ainda é bem aparente, e mesmo com toda melhoria na economia do pais nos ultimos anos, o titulo de cidade mais perigosa da Africa vai ser dificil de perder num futuro proximo.

Por exemplo? Brancos não andam a pé nas ruas. O meu hotel fica literalmente na esquina do escritorio, e a gerente de RH fico escandalizada que eu atravessei a rua pra chegar no escritorio. Na hora de ir embora, ela chamou o motorista pra levar de volta pro hotel.

E o pavor esta em todos os lados – não ande na rua, não pegue taxi na rua, não saia na rua de bolsa, deixe seu anel no cofre do hotel, não atenda o celular na rua, etc, etc… Se a cidade é esse perigo todo mesmo eu tenho minhas duvidas, mas isso demonstra bem como os brancos veem os negros por aqui. No escritorio são todos brancos. Na portaria, recepção, servindo cafezinho e dirigindo os carros, são todos negros.

Apertheid? Tenho minhas duvidas.

Tudo bem, tudo bem que sou Carioca e deveria estar acostumada com esse tipo de insegurança, mas depois de tantos anos em Londres, me desacostumei a ficar “alerta” 24hrs por dia.

Uma pena que acho que não terei tempo de conhecer nada pela cidade – se der sorte, dou uma passadinha no shopping… mas estou empenhada a remarcar a reunião de sexta tarde e assim ter tempo de fazer uns passeios pela cidade.  Não quero ir embora de Johannesburg com uma impressão tão negativa da cidade.

Mas por outro lado, sexta a noite vou pra Cidade do Cabo e estou animadissima de passar o fim de semana por lá!

E pretendo realizar um grande sonho: ver de perto o Cabo da Boa Esperança!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Africa do Sul, Johanesburgo, Viagens
38
Página 2 de 212