16
Nov
2010
Monasterio Rila
Escrito por Adriana Miller

Durante os seculos de opressao que a Bulgaria sobreviveu, as suas montanhas viraram seu “best kept secret”. Os inimigos estavam mais interesados nas rotas comerciais entre o occidente e oriente e sua costa do mar Negro, e deixaram de lado suas montanhas, que passam mais da metade do ano soterradas em neve e tem uma geografia complexa.

E foi justamente por causa de sua geografia, clima e desinteresse em geral de seus inimigos que a Bulgaria que vemos hoje em dia existe: foram em suas montanhas que os monges, os estudiosos e religiosos se esconderam e se exilaram, criando mosteiros, conventos e cidades inteiras que tinham como unico objetivo manter a lingua, a religiao e a cultura Bulgara viva.

Estima-se que a Bulgaria tem mais de 300 mosteiros escondidos nas montanhas, muitos deles tao abandonados ao longo dos tempos que ainda nao foram “redescobertos”, e outros tantos sendo revitalizados virando hoteis, pousadas e etc.

E oque a grande maioria dos nao-Bulgaros nao sabe eh que gracas a existencia desses monasterios o Leste Europeu (inlcuindo a Russia) se desenvolveu em diferentes nacoes e foi assim que o cristianismo de espalhou pela continente.

Isso aconteceu gracas ao monge Cyril (dai o Nome do alfabeto Cirilico) a quem se encomendou a traducao da biblia, depois que o Principe Bizantino Boris I resolveu converter a Bulgaria ao Cristianismo. Entao a principal funcao dos monasterios e dos monges nos seculos IX, X e XI era a traducao e copia de biblias que depois eram levadas em cruzadas pelo leste Europeu, como ferramenta de catequisacao – espalhando nao soh a religiao Ortodoxa Crista, mas tambem a lingua Eslava (que hoje em dia, depois da entrada da Bulgaria na Uniao Europeia, virou o 3ª alfabeto oficial da UE, ao lado do alfabeto Latino e Grego).

Entre eles esta o Monasterio Rila, no alto da montanha de mesmo nome que separa a capital Sofia da fronteira com a Grecia.

Rila foi fundada no seculo 10d.c. pelo heremita ortodoxo Ivan Rilski, e ate hoje eh o monasterio Ortodoxo que mais atrai peregrinos na regiao (visitas durante fins de semana dos meses de verao nao sao recomendadas a nao-peregrinos, segundo nossa guia!).

O monasterio que vemos hoje em dia nao eh o mesmo monasterio construido no seculo IX, que foi destruido por um incendio e que sobrou apenas a torre principal (que na epoca era a unica estrutura de pedra), e eh conhecido por sua igreja central intrinsecamente decorada e rebuscada!

Assim como o interior de todas as igrejas ortodoxas, que tem cada centimetro pintado e decorado, a igreja central de Rila tambem tem seu exterior inteiramente pintado e colorido, oque a torna incrivelmente magnetica!

Nao importa de onde voce esteja olhando, imposivel ignorar os paines coloridísimos, representando de forma simples e explicita as cenas da biblia.

O monasterio propriamente dito fica ao redor da Igreja, no patio central, e a pesar de que hoje em dia apenas 6 monges moram em Rila (no seu auge, eles chegavam a 300, mais um convento a alguns quilometros de distancia), algumas celas estao abertas a visitacao, e se pode conhecer uma pouco mais da vida de isolamento e dedicacao que eles levam.

Mas hoje em dia dia, apesar de ainda ter uma importancia religiosa enorme e receber centenas de millares de peregrinos todos os anos, Rila vive praticamente de turismo, e foi declarada patrimonio da humanidade na decada de 80 – e hoje em dia eh possivel se hospedar por 1 ou 2 noites nas celas dos monges em Rila (num esquema bem basicao) para quem quiser uma experiencia mais “espiritual”.

Rila eh um passeio facil de ida e volta desde Sofia, e a distancia de 70 milhas se faz em pouco mais de 2 horas (subindo as montanhas e com muitas curvas), com uma paisagem deslumbrante, principalmente nessa epoca de outono, onde pegamos um ceu incrivelmente azul enquanto a floresta do parque florestal Rila estava toda colorida de vermelho e amarelo.

A menira mais facil de chegar ate o monasterio eh com passeios de agencias locais. Existem outras opcoes como alugar um carro ou transporte publico, mas todas as opcoes acabavam saindo mais cara e mais complicado do que deveria ser.

Entao uns dias antes da viajem eu procurei no Google agencias de Sofia que fisessem esse roteiro aos domingos, contactei algumas delas e acabei fechando com a Boiana MG, que foi uma decisao totalmente no escuro, ja que nao tinha recomendacao de ninguem e nem mesmo sites como o Tripadvisor tem muitas informacoes sobre a Bulgaria.

O passeio foi super legal e super bem organizado, com grupos pequenos e guias em diferentes linguas, entao eu e o Aaron acabamos com nossa guia particular, que teve toda paciencia do mundo para explicar cada cantinho, cada significado e esperar pacientemente enquanto tiravamos nossas 3452 fotos! E no final ela ainda nos levou a barraquinha que vendia dounuts Bulgaros feitos na hora! (recomendo!!)

Categorias: Bulgaria, Viagens
23
15
Nov
2010
Sofia
Escrito por Adriana Miller

Antes de desembarcar no modernissimo aeroporto de Sofia, pouco sabia oque esperar. Claro que devorei o livro de viagens e fiz varias pesquisas na Internet, mas ainda assim, existe pouco informacao por ai sobre o pais.

Ja oque eu imaginava encontrar, formava uma lista enorme!

Principalmente os estereotipos espalhados pelo resto da Europa… Eu cresci numa cidade em Portugal onde quando os ciganos Bulgaros passavam perto, todo mundo se escondia, as portas eram (finalmente) trancadas, e as criancas nao podiam mais brincar nas ruas. Os metros de Madrid e Barcelona sao abarrotados de meninas Bulgaras de cabelao ate a bunda e saia ate o chao carregando bebes recen nascidos e pedindo dinheiro aos passageiros; e as ruas de Paris sao cheias de senhoras de meia idade oferecendo flores em troca de leitura de palma da mao enquanto aplicam golpes a turistas.

Foi difícil conseguir convencer o Aaron a querer conhecer Sofia, que ele poderia levar sua camera fotografica sem problemas e que poderiamos usar nossas aliancas de casamento nas ruas sem medo…!

Mas tem tambem o lado encantador da historia Bulgara, que tem entre seus ancestrais um dos primeiros povos “desenvolvidos” da Europa, os Tracianos, que foram uma grande influencia ao desenvolvimento doque conhecemos hoje pela Historia e Mitologia Grega (algunas teorias defendem que alguns dos principias deuses Gregos foram na verdade “desenvolvidos” pela crenca Traciana), criaram e desenvolveram a lingua Eslava que aos poucos tomou conta de todo leste Europeu (foram os monges Bulgaros que criaram o alfabeto Cirilico, usado ate hoje por Gregos, Russos, e Eslavos em geral, influenciando ate mesmo o Alemao moderno) e depois pasaram seculos sub dominacao Otomana Turca, depois finalmente libertados pelos Russos, formaram aliancas com os Alemaes e Austro-Hungaros e finalmente passaram os ultimos 40 anos trancados atrás da cortina de ferro Sovietica.

Entao com isso tudo na cabeca chegamos ao centro de Sofia e foi aquela surpresa!

Por uma lado eu imaginava uma cidade pobre, mal cuidada e com poucas coisas a oferecer ao turista (acho que meu sub-conciente imaginava Sofia sendo bem parecida a Tallin, na Estonia, meio misturada com Atenas, na Grecia), mas chegamos numa cidade cheia de parques e jardins floridos (as Rosas cor de rosa da Bulgaria equivalem a mais de 50% da producao mundial de oleos e essencia de flores de mundo, fornecendo materia prima para mais de 50% da industria mundial de perfumes e fragrancias!), avenidas largas e arejadas, e predios de arquitetura sensacional!

Eh verdade que nao tem tanta coisa a se fazer na cidade, e a nao ser que voce realmente queria passar horas visitando museus e galerias de arte pela cidade, um fim de semana esta de bom tamanho!

Uma das principias caracteristicas da arquitetura da cidade sao suas Igrejas Crista Ortodoxa, e surpreendentemente a Bulgaria eh considerada um dos paises mais religiosos e devotos do mundo, e nao entramos em nenhuma igreja que nao estivesse lotada de fieis, pessoas de todas as idades de joelhos e ascendendo velas! Quase todas as igrejas dao livre acesso a turistas e inclusive permitem fotografia em seu interior (coisa rara, principalmente em Igrejas Ortodoxas que sao super bonitas e rebuscadas por dentro), mas acabavamos nem fazendo fotos, por respeito aos fieis (que eh um clima ebm diferente das igrejas da Inglaterra por ejemplo, que temu m clima muito mais comercial e turistico).

Outra coisa que me chamou a atencao foi o orgullo que os Bulgaros tem de suas Igrejas Ortodoxas de arquitetura Russa! Enquanto que a mayoría dos paises do Leste Europeu tenta renegar seu passado socialista e alianzas com a ex-URSS, a Bulgaria tem uma historia e conexao com a Russia que vai muito alem de Lenine e cia, e eles sao eternamente agradecidos ao Russos por sua libertacao dos Ottomanos e da opressao religiosa que por seculos tentos impar o Islamismo como religiao oficial do pais.

Entao nosso passeio comecou pela Igreja Sveta Nedelya, que eh uma das principias e mais antigas da cidade, construida em estilo Bizantino e que abriga os ossos do Rei Servio Sveti Kral Stefan Milotin, que dizem ter poderes milagrosos e atrai pelegrinos vindo de toda regiao Balcanica para Sofia ate hoje.

O nosso hotel era bem pertinho do predio da Presidencia da Bulgaria, e a cada hora ha uma ceremonia de troca de guarda. Logicamente nao eh a mesma pompa e grandeza da troca da guarda Britanica, mas nao deixa de ser interessante a formalidade da cerimonia! E dentro do predio da presidencia esta a igreja Sveti Giorgi

E eh impressionante a quantidade das avenidas largas e organizadas da cidade, os jardins, os mercados de antiguidades…

E duas das outras atracoes sao tambem…. Igrejas!

Porem nao apenas Igrejas Ortodoxas “normais” e sim Ortodoxas Russas, que sao ainda mais bonitas e mais imponentes…

A menorzinha eh a Igreja Russa, que a pesar do exterior super decorado, eh bem pequenininha por fora e por dentro. Aliais, por dentro a Igreja eh praticamente apena o altar e nada mais…

Mas aos fundos de seu jardim esta a avenida que se abre na Catedral Aleksander Nevisk, que nao soh eh o simbolo de Sofia, mas de toda Bulgaria, e simboliza justamente a gratidao do povo Bulgaro aos Russos, e esse catedral foi construida em homenagem ao santo Russo de mesmo nome, em comemoracao ao fim da dominacao Otomana.

A Igreja, assim como a maioria das Igrejas em estilo RUsso sao impresionantes, de todos os angulos. Sempre muito coloridas, com deus domos multiplos em formato de cebola.

Uma coisa que achei bem interessante nessa Igreja em particular sao as cruzes Ortodoxa Bulgara que tem na verdade dois deportes, em vez do formato de cruz tradicional que estamos acostumados a ver.

Bem ao lado da Catedral esta a Sveta Sofia, que eh a Igreja Ortodoxa mais antiga da capital, e que eventualmente deu o nome a cidade!

A pesar de termos dado muita sorte com o clima no fim de semana que fomos a Sofia, por ser inverno, o sol baixou super rapido e acabamos nao tendo muito tempo para ficar perambulando demais pela cidade e nem conseguimos sair do circuito mais turistao…

Mas ainda deu tempo de ir conhecer o outro lado da cidade, onde fica o mercado municipal, cheio de lojinhas e barraquinhas com comidas tipicas e muitas lojinhas vendendo produtos feitos com oleos de rosa.

E na mesma pracinha do mercado municipal (que fica numa parte nao tao turistica, e portanto nao tao bonitinha da cidade), esta o Oriental Baths, que é um antigo Spa natural construido onde nasce uma fonte de agua minieral no meio da cidade. Cos os Romanos e os Otomanos eram chegados num Spa, o Oriental Spa existiu como banho publico por seculos na cidade, mas agora esta fechado e passando por uma super revitalização e vai virar um spa mais condizente com os tempos modernos…

E foi impressionante como assim que o sol baixou a cidade de repente esvaziou! E sofia esta longe de ser uma cidade super cosmopolita, e mesmo estando hospedados na parte mais central e turistica da cidade tivemos certa dificuldade de achar um lugar para comer por exemplo… Entao acabamos nos refugiando no hotel o resro da noite mesmo…

Categorias: Bulgaria, Viagens
26
14
Nov
2010
Bulgaria
Escrito por Adriana Miller

De uns tempos pra cá eu ando super encantada com o Leste Europeu, e querendo conhecer cada vez mais esse “lado B” do continente.

Não me levem a mal, a Europa Ocidental é encantadora, cheia de historia pra contar e um lugar mais bonito que o outro, com muita coisa pra conhecer e visitar.

E enquanto isso o Leste do continente é o “primo pobre”, que até pouquissimo tempo atras ninguem dava a menor bola, e pouca gente presta atenção neles.

Praticamente todos os paises do lado leste do continente ainda estao tentando se reerguer depois de anos, decadas e seculos de guerras, massacres, escravidão e conflitos em geral, e tudo isso ao mesmo tempo que lutam contra o preconceito e os estigmas que teem no lado oeste da Europa.

E é por isso mesmo que acho tao fascinante esse conjunto de pequenos paises que passaram toda sua historia lutando contra alguem ou alguma coisa, enquanto tentam manter sua propria identidade. E a cada novo pais ou nova cidade no leste Europeu que conheço, umas outras tantas surgem na minha lista.

E potencializando todo esse encantamento e conflito do leste Europeu, estão os paises dos Balkans. Porque se o Leste Europeu ainda é semi esquecido pelo mundo, os Balkans entao, pouca gente mal sabe onde fica e quem são… Afinal são uma meia duzia de paises que lutaram, se juntaram e separaram, trocaram de nome, de fronteira e de alianças a menos de 20 anos atras!

Voce lembra de estudar sobre a Checo-Eslovaquia? E a Ioguslavia?

E saberia identificar onde fica a Macedonia? A Bosnia? Montenegro? Kosovo?

Até uns 2 anos atras, eu não sabia. Até herdar a regiao “Balcanica” para gerenciar no trabalho e ter que entender como funciona a dinamica da região… Aprender que quando um gerente Grego se refere ao FYROM, ele quer dizer “Former Yoguslavian Republic of Macedonia” (antiga republica Ioguslavia da Macedonia – A Grecia não reconhece a idependencia da Macedonia), e que escrever um Job Description pedindo candidatos que falem Bulgaro E Romeno, é uma gafe quase tão grande quando dizer que Buenos Aires é a capital do Brasil…

Então fui vivendo e aprendendo, e a medida que fui aprendendo sobre a região, foi aumentando minha vontade de conhecer os Balkans.

Então a escolha da Bulgaria como destino (apesar dos olhos esbugalhados e narizes torcidos) foi facil: a EasyJet voa de Londres direto pra Sofia, e eu morria de vontade de conhecer a Bulgaria ha anos, desde que meu pai foi pra lá a trabalho no fial dos anos 90 e voltou cheio de fotos lindas!

E claro, muita coisa ainda esta destruida, caindo aos pedaços, e com o passar dos seculos sobraram muito menos coisas “turisticas” pra se ver e conhecer doque se compararmos Sofia com Paris ou Roma, por exemplo. Mas voltei encantada pela historia do pais, e varios outros paises entraram pra lista!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Bulgaria, Viagens
14