05
Jul
2013
Copenhagem: Tivoli Park
Escrito por Adriana Miller

Ter visitado Copenhagen pela primeira vez no auge do inverno e no meio de uma nevasca deixou uma grande decepção: o legendário parque Tivoli estava fechado!
Então esse era um passeio no topo da minha lista, e reservamos uma tarde toda só pra isso!

8302695457_eb549cb659

O Tivoli é realmente um mito: inaugurado em 1843, foi o primeiro parque do mundo a ter essa função “de diversão”, reunindo várias atrações em um só lugar.

8303746838_8876887fb7

Inclusive, diz a lenda Dinamarquesa que que foi depois de visitar o Tivoli e se encantar com o clima de “reino magico” do conceito do parque que Walt Disney se inspirou em criar seus próprios parques!

Mas claro, hoje em dia não vá ao Tivoli com a mesma disposição de montanhas russas radicais ou grandes aventuras, mas acho que é justamente esse clima autêntico e “vintage” que faz do Tivoli ainda ser super especial – e original!

Apesar de que os brinquedos tem uma “que” de infantil – afinal são muito mais amenos do que os parques de diversão modernos – o Tivoli também atende a adultos muito bem: com um leque impressionante de restaurantes e bares para todos os gostos e bolsos, inclusive o “The Paul” que tem uma estrela Michelin pra chamar de sua!

8303745684_836bef90d5

Os jardins são imaculados, combinados com canteiros floridos e edifícios de arquitetura “exótica”. E assim como os parques de diversão modernos, o Tivoli também é dividido em “temas”: uma área é Asiática, a outra tem influência Indiana, uma outra parte meio “Nautica”… Enfim, não sei o que veio primeiro, o ovo ou a galinha, mas essa diferenciação de temas entre as diferentes áreas do parque ajuda a criar um clima, assim como os parques de diversão modernos.

Como eu estava grávida quando fomos e não pude ir em nenhum brinquedo, nós curtimos nosso tempo nos joguinhos e restaurantes, e claro, nas lojinhas de design!

8302690769_cfc6cc5660

E eu adorei o sistema de limpeza e reciclagem do Tivoli! O parque até pode ter um ar vintage, mas eles com certeza entendem de sustentabilidade!

As maquinas de reciclagem de copos são ótimas, fáceis de usar e super originais!

Durante a temporada de verão eles também fazem vários shows e peças de teatro ao vivo. Bem, na verdade, infelizmente eles só abrem durante o período de Primavera/Verão (entre Abril e Setembro), mas eles também abrem em carácter especial durante o natal, com um mercadinho de natal e apresentações especiais! (já entrou pra lista!!).

 

Categorias: Copenhagen, Dinamarca, Viagens
2
04
Jul
2013
Copenhagem: Generator Hostel
Escrito por Adriana Miller

Que a Escandinávia é uma das regiões mais caras do planeta, isso todo mundo já sabe – então qualquer planejamento de viagem inclui a difícil tarefa de conjugar a tríade localização – conforto – preço na hora de escolher a hospedagem.

Mas quando li reviews sobre o Generator Hostel no TripAdvisor fiquei intrigada.
A construção novinha e moderníssima parecia ser bem confortável. A localização, imbatível. E o preço bem amigo do orçamento. Então resolvemos arriscar!

Não somos inexperientes em viajar nos hospedando em albergues, e sempre me surpreendo quando as pessoas acham que albergues são sujos, caindo aos pedaços e desconfortáveis. Sabendo escolher, eles podem ser mais convenientes e confortáveis que muito hotel por aí – e geralmente por uma fração do preço!

A rede de albergues Generator inclui endereços como Londres, Dublin, Berlin, Barcelona, e claro, Copenhagen, todos com ótimos feedbacks e reputação nas redes sociais.

A filial Dinamarquesa é novíssima, com uma decoração moderna e interessante, além de super confortável.

Os quartos podem ser individuais com banheiro privado (que é o que sempre escolhemos) ou compartilhados, depende de seu orçamento e disposição.

Além disso eles tem wifi grátis no hotel todo, as diárias incluem um café da manha estilo buffet e a noite o restaurante se transforma num bar animadíssimo!

Pra quem for ficar bastante tempo no albergue, durante a semana o bar também promove noites de jogos, filmes etc, além da agencia de turismo na recepção que organiza e recomenda passeios e viagens pela Dinamarca e Copenhagem pra quem precisar!

Nós adoramos a localização e qualidade do albergue – com certeza voltaria e provavelmente ficaremos em alguma outra de suas filiais pela Europa!

Generator Hostel Copenhagen

Adelgade 5-7

Email: copenhagen@generatorhostels.com

Twitter: @GeneratorHostel

 

Categorias: Copenhagen, Dinamarca, Viagens
5
03
Jul
2013
Copenhagem: um roteiro a pé pela cidade
Escrito por Adriana Miller

Enquanto o continente todo vai em busca de muito sol nas areias do mediterrâneo durante o verão Europeu, pra mim os melhores destinos a serem visitados nessa época estão no Norte.

7945931374_ef71fa229d

A Escandinávia fica especialmente encantadora nessa época do ano – as temperaturas sao agradáveis, os jardins floridos, as pessoas felizes e os dias intermináveis. E pra completar, como é uma viagem na contra mão do fluxo turístico, geralmente também é bem barato viajar pra lá!

Então foi isso que fizemos nos últimos anos; escolhemos o verão para rodar pelos Fjordes Noruegueses, cruzamos o Báltico entre a Finlândia e a Estônia, e exploramos a Lituânia e a Letônia, dirigimos pelos dias sem noite da Islândia e finalmente voltei a Suécia no auge da temporada!

E foi justamente essa viagem a Estocolmo durante o verão que me deixou com ainda mais vontade de voltar a Copenhagen.
Nao foi nossa primeira vez na cidade, mas foi como se fosse! Afinal, da outra vez fomos no auge do inverno e ainda demos azar de desembarcar bem no meio de uma nevasca!
Ou seja, além de dias congelantes, ainda tinha o problema de dias escuros, ruas interditadas pela neve e muitas atrações fechadas.

Então voltar durante o verão, foi como ver a cidade pela primeira vez!!

Mas como não foi a primeira vez, tivemos toda calma do mundo pra rever e explorar alguns lugares e curtir a cidade sem pressa!

8302707335_7a8a690128

Ficamos hospedados bem no centro, então começamos nosso passeio pelo cartão postal da Dinamarca Nyhavn, foi construido para facilitar a descarga de mercadorias do porto de Copenhagen pra a praça principal, Kongens Nytorv, bem ali do lado.

8303769860_90c3b7a9e6

Hoje em dia, esse pequeno canal é o principal centro turístico da cidade, e diga-se de passagem, o mais fotogênico também!

7945955128_6e4038df1d

Ali estão muitos bares, restaurantes, lojinhas e é o ponto de partida de muitos tours turisticos – por terra ou mar.

Sim, é super turístico, e tenho certeza que os Dinamarqueses diriam que a area não nada autêntica, mas não dá pra resistir, vai?

Aproveitamos os dias longos do fim do verão (já não tão longos assim) e sentamos numa das varandinhas pra comer frutos do mar vendo os barquinhos – e os turistas! – passar.

Ali do lado é impossivel evitar a grandiosa praça Kongens Nytorv, ou “A Nova Praça do Rei”, que tem uma enorme estátua equestre bem no meio, com a imagem de Christian V, um dos responsáveis pela revitalização da praça e da cidade no século 16.

Em volta dessa praça também estão alguns dos mais importantes edificios da Dinamarca, incluindo o Teatro Municipal / Casa de Opera e o “Hotel d’Angleterre”, o hotel mais antigo de Copenhagen – e também entre os mais caros – construido no prédio de 1755 e já hospedou personalidades como Grace Kelly e Madonna ou longo de sua história.

É ali também que fica o prédio mais antigo da cidade, que hoje em dia cede lugar a gigante loja de departamentos “Magasin du Nord”.

Construido no século 13, o prédio original servia de adega para as vinícolas da região; séculos depois passou a ter apartamentos, onde o ilustre escritor Dinamarquês HC Andersen morou quando tinha 22 anos (que ainda pode se visitado através do 3o andar da loja) – e hoje em dia pode ser apreciado por sua nova função: compras! Na “Magasin du Nord” é possível encontrar alguns dos melhores designers da Dinamarca, Escandinávia e do mundo).

E por falar em compras, é ali na praça Kongens Nytorv que começa a principal área comercial de Copenhagen, a rua Strøget.

Strøget é inteiramente dedicada para pedestres com um objetivo em comum: gastar seus Krones Dinamarqueses!

Mas a rua, além de enorme, é eclética, com lojas que variam entre as roupas de inverno da Moncler, as bolsas da Gucci, as araras da H&M e as tradicionais porcelanas da “Royal Copenhagen” (enlouqueci lá dentro e queria refazer a cozinha toda!).

As ruazinhas em volta também valem a pena serem exploradas, muitas delas também fechadas só para pedestres e cheias de restaurantes charmosos lojas de design e galerias de arte, se estendendo até o “bairro latino” (que assim como o bairro de mesmo nome em Paris, era sede da Universidade de Copenhagen e portanto Latim era a principal lingua falada na vizinhança), que até hoje preserva seu passado intelectual e artístico.

A Strøget só acaba lá do outro lado da cidade, na praça Rådhuspladsen, onde fica a prefeitura da cidade (um adendo: vocês assistiram a séria dinamarquesa “The Killing”/ “Forbrydelsen”? Essa praça aparece várias vezes na trama!).

Do outro lado da praça fica o incrível parque de diversões “vintage” Tivoli!

8303746838_8876887fb7

Você pode interromper o roteiro por ali mesmo e passar o resto do dia no Tivoli, ou deixar pra visitar o parque com mais calma (que foi oque fizemos! E ele vai ganhar um post exclusivo!)

De volta ao outro lado da cidade, também começando na praça Kongens Nytorv, fica a rua Gothersgade, uma avenida comprida, com vários hotéis e restaurantes (nosso hotel ficava por ali) que vai dar diretamente no parque Kongens Have, que hospeda o castelo Rosenborg Slot, castelo que era residência de verão da família real Dinamarquesa no século 17.

8302696943_1581f035c7

O castelo é pequeno, para proporções reais, com apenas 24 quartos espalhados por 3 andares, mas o que não tem em grandiosidade, tem em preciosidade, pois é lá que ficam armazenadas as joias da coroa Dinamarquesa desde 1658! Varios outros ambientes do castelo podem ser visitados pelo público, além dos jardins em volta, que durante o verão ficam especialmente disputados!

E por falar em castelos reais, outra das principais atrações da Copenhagen é o atual castelo real, construído em 1754. Na verdade, o Amalienborg e o Frederiksstaden são um complexo de 4 palácios, espalhados numa praça em formato octagonal.

8302705769_8cd8e91b56

E na verdade é a igreja Marmokirken e sua cúpula de mármore Norueguês que dominam a paisagem e dão aos 4 palácios o ar Real digno de uma residência aristocrática.

8302705417_4ffcff2241

Mas pra chegar até lá, a partir da área de Nyhavn existem vários caminhos, mas no verão o melhor é pela “orla” da baía, na Larsens Plads. Que aliais, se seguida até o final, também te leva ao Kastellet, uma antiga citadela e forte militar, também no meio de um parque, com igrejas, museus e moinhos de vento em seu interior.

E a caminhada vale a pena – pois é ali também que fica a (pequena) estátua da (minúscula) Pequena Sereia.

8302701781_4627b35b6c

A Pequena Sereia – não a princisa da Disney, e sim o personagem de HC Andersen – foi uma das coisas que não conseguimos ver quando fomos a Copenhagen no inverno, pois o vento e neve estavam agressivos demais para a caminhada na beira mar.

Então dessa vez fizemos questão de ir até lá, mesmo depois de termos ouvido incontáveis vezes o quanto ela é decepcionante.

8302702973_19a7145d86

E ok, ela realmente é pequena – é fácil de achar a estátua por causa da multidão em volta, mas ela mesmo se perde na paisagem. Mas ainda assim é uma daquelas coisas que você tem que ver com seus próprios olhos pra poder tirar suas próprias conclusões!

Outra área polêmica de Copenhagen é a comunidade Christianshavn.

Christianshavn é uma comunidade “livre”, onde, entre suas muralhas e atrás de suas portas, tudo vale. O bairro prega uma anarquia anti-governo e pró-comunidade, onde não se paga impostos nem existem muitas regras.

Ha quem ame e ha quem odeie – é uma questão de ponto de vista e como você escolhe “enxergar” o ideal do local. Por vezes uma cambada de vagabundos sem o que fazer. Oras uma comunidade utópica onde um mundo de igualdade realmente funciona.

Da primeira vez que estivemos em Copenhagen, nós passamos bastante tempo por lá, mas dessa vez preferimos focar em outras áreas da cidade. Mas assim como a Pequena Sereia, vale demais a pena dedicar um tempo pra ir lá ver com seus próprios olhos.

 

 

Categorias: Dinamarca, Viagens
9
27
Aug
2012
Copenhagem ao vivo!
Escrito por Adriana Miller

Nossa temporada de viagens de verão esta quase acabando – e pra nao deixar o ultimo fim de semana prolongado do ano passar em branco, voltamos a Copenhagem, na Dinamarca.

20120827-061423.jpg

Os países Escandinavos sao incríveis, e no verão então, eles se transformam! Ano passado quando estive em Estocolmo e vi como a cidade era tão diferente entre uma estação e outra, fiquei morrendo de vontade de voltar tambem a Dinamarca, outro pais que tínhamos visitado há mais de 5 anos atras, mas no auge do inverno e bem na semana que tinha caído uma das piores nevascas da temporada… Então nao conseguimos ver muita coisa nem aproveitar a cidade!

20120827-061716.jpg

Então dessa vez foi tudo bem diferente: muita gente nas ruas, jardins floridos, dias longuíssimos, e uma cidade cheia de vida!

20120827-061839.jpg

Mas é claro, com certas restrições, como jaqueta sempre a postos e cachecol, guarda chuva e óculos de sol sempre na bolsa – afinal, mesmo num dia de “tempo bom” as temperaturas nao passaram muito além dos 20 e poucos graus!!

20120827-062035.jpg

Ao mesmo tempo que foi um fim de semana muito bem aproveitado e conseguimos passear bastante, tambem foi daquelas viagens “familiares”, quando vc reconhece lugares, sabe por onde andar e oque fazer, sem grandes correrias pra conseguir fazer absolutamente tudo ao mesmo-tempo-agora!

20120827-062240.jpg

E conseguimos fazer varias coisas que tínhamos deixado pra lá da primeira vez (ou impossibilitados de fazer por causa da nevasca), como por exemplo ver a “Pequena sereia”, um dos ícones da cidade e da cultura Dinamarquesa.

E principalmente, fomos ao Tivoli Park!! O original (o pessoal do Rio devem lembrar do Tivoli Parque decrépito que tínhamos na Lagoa nos anos 80!!)

20120827-062547.jpg

Na primeira vez que viemos, o parque estava fechado, por ser inverno, então nao sabia muito bem oque esperar… Mas que lugar delicia e lindinho!!!

20120827-062706.jpg

(olha a barriga escapulindo na foto!)

O parque é uma mistura de parque mesmo, com muitos jardins e gramados, com uma coisa meio parque de diversões “vintage”, com um que de “carnival” – com muitas atividades pra todas as idades!

20120827-062942.jpg

Adoramos, e só saímos de lá quando o parque fechou – já quase as 10 da noite! E aproveitamos bastante tambem os bares, pubs e restaurantes dentro do parque!

E por falar nisso, taí uma coisa que aproveitamos bastante! A ” cultura” Dinamarquesa!

20120827-063239.jpg

Variando entre os pratos incríveis de frutos do mar, até os contos de fada (originais!) dos irmaos Dinamarqueses Grimm!

20120827-063430.jpg

Claro, já entrando no clima de “pais de menina” com direito a livro com historinhas e roupinha cor de rosa das princesas Escandinavas – uma ruiva, uma morena e uma loira: afinal, nao sabemos como nossa menina será, então mantemos as opções abertas! :-)

Categorias: Copenhagen, Dinamarca, Viagens
14
26
Feb
2007
Copenhagen
Escrito por Adriana Miller

A historia da Dinamarca foi escrita por Viking, navegadores e pescadores, e é um pais a frente de seu tempo. Um dos paises pioneiros na legalizacao do aborto e do casamento gay, e abriga na capital uma estranhisima comunidade hippie, em total paz e amor.

Copenhagen é capital, centro economico, politico e cultural do pais. Alem de ter a monarquia mais antiga do mundo.

Já tinham me falado que Copenhagen sempre deveria ser a primeira cidade a ser visitada na Escandinavia. Ao longo dos anos, a cidade sofreu varios incendios e guerras, foi destruida e reconstruida varias vezes, e sua proximidade com o “continente” Europeu (enquanto os outros paises estao isolados na Penisula Escandinavia), descaracterizou o poderia ser esperado de uma cidade nordica Europeia.

Continua bonita e interessantissima, mas tem um clima inconfundivel de cidade grande.

Nós resolvemos ir pra lá no sabado de manha, voando EasyJet, pq isso diminuia o preço do voo drasticamente, e seria uma noite a menos num hotel; e pra falar a verdade a cidade é pequena o suficiente pra ver tudo em um fim de semana.


Fomos pra lá hiper-mega preparados pro tempo frio, e foi exatamente isso que nos recepcionou! MUITA neve, -4 graus de temperatura e uma chuva de chelo muito chatinha…

Mas confesso que estar na Dinamarca em baixo de neve é tudo de bom!

Começamos o dia pelo Tivoli Garden, que era bem pertinho do hotel. O Tivoli foi o primeiro parque diversoes do mundo, fundado em 1843 – Porem estava fechado… Vimos pela grade, tiramos foto na porta, mas só funiona no verao, onde todas as atraçoes podem funcionar normalmente, as flores estao vivas e o lago descongelado.

Atravessamos a cidade toda a pé. A arquitetura tem um estilo muito parecido com alguns predios de Estocolmo ( a prefeitura por exemplo), mas dá pra perceber nitidamente a influencia Germanica.

Uma coisa que reparamos tambem é que aqui as pessoas tem muito mais cara de “nordicos”, enquanto que Estocolmo é uma cidade muito mais internacional (logo muito menos loiros e loiras dando sopa), Copenhagen dá pra perceber que a “mistura” com imigrantes é bem menos intensa.

Passamos pela Prefeitura (Kobenhavns Radhus) que tem um dos relogios mais famosos do mundo, que demorou 27 anos pra ser acertado, e só atrasa 1 segundo a cada 300 anos. Nessa mesma praça começa a Stroget, que uma rua comercial que atravessa o centro da cidade inteiro. Tem uma H&M enooooorme que ale muito a pena!

É impossivelnao reconhecer Nyhavn, que é o cartao postal mor da cidade. O canal, com varias casinhas coloridas. Originalmente era um anexo do porto de Copenhagen, e casa dos pescadores e trabalhadores (a mais antiga é de 16810), mas hoje em dia é uma area cheia de restaurantes e barzinhos. O escritor pioneiro da literatura infantil Hans Christian Andersen foi um dos moradores do canal.

O outro ponto alto de Copenhagen é a pequena Sereia, presonagen criada por HC Andersen, muuuuito antes da Disney, e tem uma estatuazinha minuscula em algum lugar do porto… demos uma procuradinha, mas o vento estava muito forte, um frio cão, e desistimos.

Seguimos proque achavamos que seria um castelo, mas acabou sendo um forte semi-abandonado, mas com um parque/jardin incrivel,que valeu o passeio! Com direito a lago congelado, criancinhas de treno, e MUITA neve!!

No caminho de volta pro hotel, passamos pelo Palacio Real (Amalienborg palace), pra ver os guardinhas, que sao quase iguais os de Londres…

No domigo, alem de dormir até tarde, pq ninguem é de ferro, tiramos o dia pra ir até Christiania, que é uma especia de cidade livre-hippie fundada 1971 e parada no tempo. Moram cercade 800 pessoas lá dentro, tem suas proprias leis e regras – inclusive o uso liberado da maconha. Uma das regras que eles tem lá dentro é nao tirar fotografias. Isso nao seria um problema se o Aaron nao estivesse carregando uma bolsa fotografica gigante, mais seu tripé pendurado.

Eu entendo e aceito o clima paz e amor que eles tentam recriar lá dentro, mas confesso que me senti como aquelas gringos que fazem “safaris” nas favelas do Rio de Janeiro. O lugar é muito pobre, as pessoas vivem em casebres exatamente iguais a barracos de favelas, mas a diferença é que estava -4 graus e com meio metro de neve do lado de fora, no centro da capital de um dos paises mais ricos e justos do mundo, e entao vc se pergunta “porque?”.

Oque me surpreendeu um pouco foi que as pessoas la’ nao tinham cara de hippies. Era um povo mau encarado mesmo, todos fumando maconha nas esquinas, em volta de uns barris com fogo, e teve um cara (um loiro beeeeeem Viking, daqueles estilo guarda roupa 2×2 – seu ta-ta-ta-ta-ravô esquartejou muita gente com certeza!) que ficou seguindo a gente com um pitbull sem coleria o tempo todo. Provavelmente por causa da nada-discreta camera do Aaron, e duvido que ele tivesse alguma intençao de nos roubar ou algo do genero, mas é o clima intimidador-mau-encarado-do-gueto que me apavorou, e saimos de lá rapidinho. Como o “bairro” é uma comunidade fechada, vc só pode entrar e sair por ertos pontos, e na saida principal tem um arco que diz “apartir desse ponto vc estará entrando na Comunidade Europeia” oque deixa bem claro qual a posiçao deles em relaçao a posiçao da Dinamarca na Uniao.

As fotos estao aqui

 

Categorias: Copenhagen, Dinamarca, Viagens
14
23
Feb
2007
Dinamarca
Escrito por Adriana Miller


Aqui estou eu, sexta a noite, fazendo minha malinha pra ir passar o fim de semana com o Aaron em Copenhagen e eis que dou uma passadinha no site no site da Catia e vejo isso: “Tempestade de Neve“!!!!

Como assim?!?!??! Vou virar picolé!!!

Tenho que refazer a mala toda e triplicar a quantidade de roupas….

Um fim de semana abixo de zero nao estava nos meus planos… Espero que de pra aproveitar a cidade assim mesmo.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Clima, Copenhagen, Dinamarca, Viagens
6