17
Jun
2013
Londres com crianças: Transporte e locomoção, pubs e dia a dia
Escrito por Adriana Miller

Esse ainda não vai ser um post com dicas de coisas a fazer em Londres com crianças, e sim um post de caráter mais, huum… prático.

3129014120_48af2c4e8b

Volta e meia, quando eu posto alguma foto (lá no Instagram!) dos meus passeios por Londres com a Isabella, sempre me perguntam como é navegar a cidade com crianças pequenas e bebês de colo. Afinal, não é novidade pra ninguém que Londres é uma cidade onde se usa transporte público 99% das vezes, e como as condições de ruas, calçadas e transporte público varia bastante de país pra país, muitas vezes, famílias com crianças ainda em idade de andar de carrinho ficam na dúvida se Londres é um destino viável ou não.

Sem falar que sempre rola um mito (principalmente entre os Brasileiros) que a Europa não é muito amigável para famílias. Já vi muita gente comentando que Europa não é um lugar interessante para crianças (oi?!), que é tudo muito velho, apertado, difícil.

Realmente, se compararmos o conforto e facilidade de empurrar um carrinho de bebê pelos corredores de um outlet em Miami ou pelas calçadas estreitas de um vilarejo na Provence… mas por outro lado – no meu ponto de vista – nem sequer podemos comprar o nível de interssância pra família toda!

Mas enfim, não cabe a mim decidir nem debater qual o melhor destino de viagem para uma família. Mas e Londres? Dá pra visitar a cidade tranquilamente com crianças e bebês?

Bem, resumidamente, sim. Londres é uma cidade muito amiga de carrinhos de bebê e afins. Claro que como toda cidade centenária Europeia, muitas calçadas são estreitas com piso de pedrinhas, as portas são apertadas e no geral não ha muito espaço de sobra em lugar nenhum pra ninguém. Mas bastam alguns cuidados simples e muito bom senso pra conseguir curtir demais a cidade, mesmo com um bebê a tiracolo!

- Metrô

Incrível como eu nunca tinha parado pra reparar muito na acessibilidade das estações de metrô até uns meses atrás, quando estava gravida e me vi as voltas com a decisão sobre qual carrinho comprar.

Infelizmente 80% das estações de metrô de Londres não são 100% acessíveis (com elevador que conecta a rua com a plataforma), mas muitas delas pelo menos tem escadas rolantes, o que torna a viagem com carrinho de bebe mais viável.

Tudo bem que não é todo mundo que se sente confortável em subir e descer escadas rolantes com um carrinho de bebê, mas é uma questão de prática (a primeira vez fiquei até de perna bamba, hoje em dia tiro de letra!) e de se tomar certos cuidados, como por exemplo: mesmo com carrinho, tome cuidado pra não bloquear a passagem dos outros passageiros na escada rolante. A regrinha “invisível” das escadarias do metrô de Londres é “ande pela esquerda, pare na direita”. Logo, quanto mais compacto for seu carrinho, melhor! E sempre pela direita!

Já dentro dos vagões, quase todos tem um cantinho em cada vagão para cadeiras de roda, malas e carrinho de bebê, então não tenha cerimônia de pedir pras pessoas saírem do espaço preferencial para você estacionar seu “possante”. As únicas pessoas que tem mais prioridade que você e seu carrinho são cadeirantes, mas de resto – malas, sacolas ou pessoas em pé tem que se mover para você entrar. E no geral, os Londrinos são muito educados e ao ver um carrinho de bebê, logo logo saem da frente.

Mas não esqueça do bom senso – não adianta querer atochar seu carrinho dentro de um metrô no auge do horário do rush!

E para saber quais estações são acessíveis, basta consultar o mapa das linhas de metrô – as estações que tem o símbolo de cadeira de rodas, são 100% acessíveis, as outras não. (eles até disponibilizam um mapa com todas as estações “step free”, ou seja, sem degraus).

Então na dúvida, vá de ônibus…!

- Ônibus:

Mesmo conhecendo bem as estações de metrô de Londres, sempre me bate uma dúvida se a estação tal tem ou não escadas rolantes, ou se tem escadas rolantes ou elevadores entre uma linha e outra (para fazer as conexões e baldeações), então ultimamente eu tenho dado preferência aos ônibus da cidade!

Então eu planejo minha viagem usando o “Journey Planner” e consultando as opções de ônibus, que apesar de geralmente demorarem mais, pelo menos não terei que subir e descer escadas carregando um bebê, mais suas tralhas, mais o carrinho.

E o ônibus são SUPER fáceis pra quem está com carrinho – todos tem uma area reservada para cadeirantes e carrinhos de bebê, onde dá pra estacionar direitinho e deixar o carrinho bem trancado e seguro, sem ficar no meio da passagem das outras pessoas.

Assim como no metrô, essa area é preferencial, então não tenha cerimônia pra pedir pras pessoas tirarem suas malas, sacolas do caminho (mas na verdade – de maneira generalizada – as pessoas aqui tem um bom nível de “cimancól” e já saem numa boa quando veem um carrinho entrando.

8442634732_e93fd0762e

O único problema é que os ônibus só conseguem acomodar no máximo 2 ou 3 carrinhos de cada vez, então se o cantinho dos carrinhos já estiver lotado e você fizer sinal pra parar o ônibus, o motorista não vai parar pra você, a não ser que você concorde em fechar o carrinho e viajar com seu bebê no colo.

Mas isso não chega a ser um problema. Se o primeiro ônibus que passar estiver lotado, basta esperar pelo próximo. Ou então, vá de taxi!

- Táxi (Black Cab e mini cab):

A boa notícia é que todos os taxis Londrinos (os Balck Cabs pretinhos) são 100% acessíveis para cadeirantes, e portanto conseguem acomodar um carrinho de bebê numa boa – e são licenciados pra isso, então você não precisa tirar o bebê do carrinho, nem levar cadeirinha de carro (bebê conforto) etc, podendo até usar o cinto de segurança para cadeiras de roda pra segurar bem seu carrinho.

Já os mini cabs, que não passam de carros normais, como são serviços de pré reserva apenas, você já pode pedir o seu com uma cadeirinha pra bebê (como é o caso do motorista Brasileiro para translados e passeios em Londres) caso não queria levar a sua, ou então levar seu bebê num canguru preso a você.

Essa não é a situação ideal nem mais segura (canguru + cinto de segurança), mas num momento de emergência,  é bom saber que temos essa opção.

- Carro alugado:

Já se sua viagem envolver um carro alugado você deverá levar sua própria cadeirinha de carro, ou então solicitar uma cadeirinha de aluguel pra empresa de locação.

Carros de passeio no Reino Unido são terminantemente proibidos de levar bebês e crianças (até 12 anos se não me engano) sem cadeirinhas específicas pra idade e tamanho/peso da criança, portanto não esqueça de reservar a sua no momento da reserva de seu carro!

- Trens:

Mas na verdade a grande maioria das pessoas que viaja pelo Reino Unido vai de trem, que graças a deus, são super confortáveis pra bebê e crianças!

Assim como nos vagões do metrô, os trens também tem vagões especiais com áreas específicas para cadeirantes, carrinhos de bebe, ou malas e até mesmo bicicletas.

Na dúvida, basta procurar pelo símbolo na porta do vagão.

E uma vez lá dentro, durante sua viagem, todos os trens terão ao menos 1 vagão com banheiro (geralmente são vários) que apesar de não serem os mais limpos da face da terra (nem serem exclusivos para bebês, como no Eurostar!), pelo menos tem uma area mais reservada com fraldário, lixeirinha e pia, onde você pode trocar a fralda de seu bebê com calma e espaço.

(Aqui vale minha dica sobre os trocadores descartáveis – depois de usar é só jogar fora junto com a fralda!)

 

Mas e o resto?

Museus, lojas, pubs e restaurantes? Como amamentar? Trocar fralda?

De maneira geral,  os ambientes em Londres são feitos para famílias, e mesmo os que não são, os Ingleses são politicamente corretos e educados demais para ter a indelicadeza de impedir que uma mãe amamente em público ou troque a fralda de um bebê num banheiro sem fraldário.

Eu nunca senti nenhum tipo de hostilidade por aqui por amamentar em público – o que é uma prática muito incentivada e apoiada no UK me geral. Claro, ser discreta não faz mal a ninguém (até pelo seu próprio conforto) então bastava cobrir a Isabella com uma lenço, fraldinha ou então uma “tendinha” de amamentação (eu usei essa aqui e adorei!). Amamentei em pubs, restaurantes, bares, parques e praças. Se alguém se incomodou com isso, foram discretos e educados o suficiente para não me deixar inconfortável por isso.

Mas infelizmente nem todos os restaurantes, bares e pubs tem a infraestrutura necessária para bebês, e a maioria dos lugares, quando tem fraldário, por exemplo, ele esta no banheiro feminino (se bem que isso esta mudando, e hoje em dia eles se encontram no banheiro de cadeirantes, portanto tanto mães quanto pais podem trocar a fralda de seus bebês tranquilamente). Mas nada que jogo de cintura e uma pia espaçosa não resolvam!

(olha aí o trocador descartável de novo)

Porém uma coisa importante a notar é que nem todos os Pubs e restaurantes tem licença para ter crianças em suas premissas depois de uma certa hora (por causa da venda de bebidas alcoólicas), então sempre mencione em sua reserva que um dos membros de sua família é menor de idade.

Geralmente durante o dia isso não tem problema nenhum, mas já fomos avisados, ao entrar num pub por exemplo, que teríamos que sair antes das 18:00 pois eles não tinham permissão para crianças depois desse horário.

Se isso acontecer, não se sinta ofendido (licenciamento para bebidas alcoólicas no Reino Unido é um assunto complicado e muito fiscalizado) – basta trocar de lugar, ou aproveitar o horário do almoço pra conhecer os restaurantes mais badaladinhos da cidade!

E como os melhores roteiros para passeios em Londres foram feitos para serem explorados a pé, coloque seu bebê no carrinho e seja feliz pelas ruas Londrinas!

Categorias: Baby Everywhere, Batendo perna, Conhecendo Londres, Dicas Uteis, Inglaterra, Transporte, Viagens, Viajando com crianças
33
14
Jun
2013
Eurostar: Viajando com bebês e crianças
Escrito por Adriana Miller

Já fizemos inúmeras viagens de Eurostar, que continua sendo minha opção preferida pra viajar entre Londres e a França – mas e levar um bebê no trem, como seria?

Então foi todo um novo mundo de pesquisas e possibilidades, alguns acertos e alguns erros, mas sobrevivemos! Os 3!

- Reserva e passagens:

Bem, pra começar uma ótima noticia: crianças até 4 anos não pagam nada pra viajar no Eurostar. Isso mesmo. Nada. Zero. Nem um centavo – sem taxas, nem impostos nem nada mais.

Quer dizer, me explico. Crianças até 4 anos, que viagem no mesmo assento que um adulto (ou seja, no colo) não paga absolutamente nada.

Mas independente da idade de seu filho(a) se você quiser que eles tenham um assento próprio, então eles pagaram uma passagem inteira.

Eu fiquei até desconfiada, pois você nem sequer precisa informar o nome da criança, e nem tampouco ela terá uma passagem pra viagem…

Mas foi tranquilíssimo! E não esqueça do passaporte! Qualquer pessoa (independente da idade) cruzando fronteiras precisa de apresentar um passaporte na viagem.

- Marcando assentos:

A vantagem de viajar de avião com um bebê pequeno é que eles podem usar o bercinho do avião, então a realidade é que durante a viagem, é colo se eles nem estivessem ali!

Mas e no trem?

Eu sabia que o Eurostar (nem trem nenhum) tem assentos com bercinhos então fique preocupada com o conforto da Isabella (e nosso!), pois não apenas teríamos o trajeto de 2 horas e meia até Paris, mas ainda teríamos mais 3 horas de TGV até o sul da França.Screen Shot 2013-06-09 at 19.55.21

Então decidimos levar conosco o cadeirinha de carro (bebê conforto) dela com a gente na viagem, e na hora de marcar nossos assentos, marcamos as poltronas que tem uma mesa no meio, eu de um lado e o Aaron de frente pra mim do outro lado.

E a Isabella foi no meio, no bebê conforto encaixadinho na mesa entre nós dois.

E uma dica extra: reserva os assentos da janela, pois assim você apoia a cadeirinha na janela, e não corre o risco de seus vizinhos de poltrona ficarem esbarrando no seu bebê cada vez que queriam levantar de seus assentos – ou as pessoas passando com malas/bolsas etc no corredor do trem.

Assim ficamos os 3 super confortáveis a viagem toda, sem ter que ficar segurando ela no colo por horas a fio, e ela ficou confortável e entretida – confortável quando estava dormindo, e feliz da vida assistindo a vida passar (nos corredores do trem) quando estava acordada!

Para crianças maiores que bebês de colo, as poltronas com mesa no meio também são a melhor opção, pois eles ficam com mais espaço para as pernas além de terem uma mesa maior pra colocar brinquedos, livros, iPads etc.

- Fazendo as malas:

A maior vantagem de viajar de trem pra quem esta com um bebê a tiracolo é não ter que se preocupar com os líquidos na bagagem!

Em trens e no Eurostar você pode levar quanto e quais líquidos quiser, em embalagens de qualquer tamanho que ninguém esta nem aí!

Então estocamos leite já preparado o suficiente pra viagem toda no trem e mais o suficiente pra durar toda a viagem e todos os passeios que faríamos durante os dias da viagem.

Além de que aproveitei a oportunidade e re-estoquei os meus produtinhos preferidos das farmácias Francesas, compramos vinhos, perfumes de lavanda e o que mais quiser!

- Carregando e armazenando as malas:

Porém nem tudo é perfeito… Você pode levar tudo o que quiser no Eurostar: não ha limite de peso, nem limite de líquidos que você pode levar a bordo, porém esse é justamente o problema, pois as pessoas tendem a exagerar (faça o que digo, não faça o que faço!)!

Afinal, ao contrário de aviões, você não despacha suas malas – é responsável por elas do começo ao fim da viagem, sem ter ninguém pra carregar, nem ajudar e não poder se “livrar” delas, como faríamos numa avião.

E quando somamos toda a tralha extra de um bebê + o bebê propriamente dito (ou seja, um de nós tinha que ficar com ela no colo/carrinho enquanto o outro carregava todas as nossas malas pra dentro do trem!), isso se torna um problema!

Como já comentei em outros posts sobre viajar de Eurostar, o espaço destinado a bagagem é limitadíssimo, e ficam nas entradas/saídas dos vagões, portanto longe de sua supervisão, o que deixa muita gente tensa.

E é uma guerra. Cada pessoa que embarca tenta re-arrumar as malas que já estão nos bagageiros de qualquer maneira, tentando encaixar suas malas também (é tipo um jogo de Tetris no nível gazilhão de dificuldade! hahahah), então tem que ter cuidado na hora de embalar itens quebráveis e frágeis.

Além disso, caso você vá precisar de alguma coisa ao longo da viagem, carregue-o com você, numa mala ou bolsa de mão que ficará no (minúsculo) compartimento para bagagem de mão acima das poltronas, pois realmente é muito dificil ter que ficar movendo todas as outras malas só pra pegar uma coisinha que você esqueceu!

E outra dica importante pra quem vai viajar com bebês: viaje com um carrinho que seja relativamente pequeno e fácil de abrir/fechar, e que monte/desmonte em apenas uma peça, pois assim como não tem espaço para malas, também não tem espaço pra carrinhos, que terão que ser fechados e colocados nas prateleiras de bagageiros juntos com todas outras malas.

Pra nós foi uma lição e tanto: na próxima viagem de Eurostar seremos mais “econômicos” na hora de fazer as malas!

- Conforto e amenidades a bordo: fraldários, comidas etc.

Apesar da enrolação de embarcar com malas + carrinho + bebê, a viagem em si é super confortável (principalmente porque a Isabella estava no bebê conforto o tempo todo).

Por exemplo, os fráldarios são super limpos e confortáveis!

São quartinhos separados, exclusivos para isso, para que você não tenha que levar seu bebê num banheiro usado por outros passageiros.

Screen Shot 2013-06-09 at 19.53.45

É um quartinho que não é banheiro, separado no corredor dos vagões com uma caminha/trocador acolchoado que já tem um rolo de papel (tipo um papel toalha) enorme que forra o colchão do trocador, e assim a cada troca você joga fora o papel usado e o passageiro seguinte usa um novo pedaço do trocador descartável!

Além disso, eles também tem saquinhos de plástico disponíveis pra jogar fora as fraldas sujas, e uma lixeira bem vedada, para que o quartinho não fique com cheiro de fralda!

No outro lado tem uma pia com sabonete liquido e toalha de papel, e uma tomada e um “aparelho” onde você pode encaixar uma mamadeira ou potinho de comida para ser aquecido! (num avião você pode pedir pra um comissário aquecer a mamadeira ou comida de seu filho, mas em trens não, pois não existem “funcionários” de bordo).

Achei o máximo! Tanto na viagem de ida quanto de volta os quartinhos de bebê estavam limpos e bem fornidos. Um super conforto para famílias viajando de trem!

Se seus filhos já forem maiorzinhos, também aconselho que você leve comida/lanches o suficiente pra viagem, pois apesar de ter um vagão-restaurante, as opções de comida disponíveis nem sempre são apropriadas para crianças (geralmente só vendem refrigerantes, bebidas alcoolicas, sanduiches, salgadinhos e tal).

Então apesar de que a viagem é curta, para evitar apertos é melhor comprar alguma coisa já na estação mesmo, antes de embarcar (a estaçnao de St Pancras em Londres tem uma Boots que vende muitas opções de comidas de bebês, além de uma Marks & Spencer – que é um supermercado – com opções de frutas, sucos, biscoitos etc, ou cafés como Starbucks, Costa e Café Nero que geralmente tem mais opções de sanduiches, muffins, cookies, saladas de frutas etc.)

Categorias: Dicas (Praticas!) de Viagem, Eurostar, Inglaterra, Transporte, Viagens
X
21
Apr
2013
Motorista e Guia Brasileiro em Londres
Escrito por Adriana Miller

Há umas semana atrás recebi uma proposta de parceria e fiquei intrigada – uma empresa de guias e translados Brasileiros em Londres, a TAM Transfer London.

Essa é uma pergunta que recebo com muita frequência, mas infelizmente nunca tinha ninguém pra indicar.

Eu geralmente gosto de viajar de forma mais independente, mas volta e meia nao tem nada melhor que o conforto e a segurança de um motorista te esperando – principalmente quando viajando por um lugar desconhecido ou que não dominamos a língua muito bem.

Então troquei vários emails com o pessoal da Tam Transfer e gostei do estilo deles.

Mas como vocês sabem, aqui no blog eu só recomendo (e escrevo sobre) lugares e serviços que eu tenha testado e aprovado – e essa sem duvida seria minha prova de fogo!!

Então quando voltamos do Colorado (depois de um vôo noturno, muitas malas extras, bebe pequeno…) foi uma alivio ver o Fernando com uma plaquinha com meu nome nos esperando no desembarque do Heathrow!!

A Tam Transfer London tem uma frota com vários tipos e tamanhos diferentes de carros e vans, todos servidos por motoristas Brasileiros que moram a muitos anos em Londres.

Os carros são novíssimos e muito confortáveis – com água, chocolates e ate um iPad e wifi para que os passageiros possam aproveitar a viagem entre aeroporto-hotel (ou durante um tour ou passeio) para avisar a família que chegaram bem ou fazer confirmações de viagem de ultima hora.

A qualidade do serviço foi excelente – e basta dar uma olhadinha no site deles pra ver que não é atoa que eles já prestaram serviços pra inúmeras “personalidades” Brasileiras de passagem por Londres!!

Funciona assim: voce entra em contato com eles pelo email tamtourslondres@gmail.com (sempre por email – esse é seu recibo e o controle de qualidade deles), confirma seu vôo ou qual passeio quer fazer, hotel ou endereço final e eles estarão lá te esperando!
E ainda confirmam seu vôo e dão ate 90 minutos de prazo para eventuais atrasos (com um taxi ou mini cab normal qualquer atraso no seu vôo – ou na fila da imigração! – vai direto pro taxímetro!).

E além dos translados, eles também fazem city tour em Londres e passeios por todo Reino Unido, principalmente vários passeios nos arredores de Londres – que eu sempre recomendo, mas muita gente fica com receio de ir por conta própria com medo de se perder, não entender o Inglês Britânico e afins.

Entre alguns dos passeios mais comuns estão opções como:
- Castelo Windsor
- Hampton Court Palace
- Estúdio do Harry Potter
- Oxford

- Canbridge

- Dover Cliff

- Castelo Leeds

Entre outros, além da possibilidade de fazer seu próprio roteiro!!

A tabela de preço é ótima, e quando comparados com os custos de viajar de trem ou taxi pela Inglaterra eles sao ate barateiros (principalmente pra quem vier em grupo!)!

Screen Shot 2013-04-21 at 13.25.25

E para grupos de 3-4 pessoas ou mais (uma familia, por exemplo), sai bem mais barato fazer um transfer do aeroporto com eles do que comprar 4 passagens de trem e mais 4 passagens de metro! (sem contar o conforto, não ter que carregar malas pelas estações e afins…)

Screen Shot 2013-04-21 at 13.25.44

Uma segurança a mais é que além de acertar tudo por emails (tamtourslondres@gmail.com ) voce tem a opção de pagar ainda no Brasil (pro pessoal que gosta de já ir se livrando doa custos da viagem antes mesmo de embarcar) ou direto pro motorista, já aqui na Inglaterra – em dinheiro (Libras Esterlinas) ou com cartão (basta avisar antes e o motorista leva uma maquininha de cartão no carro). Ou seja, se preferir você só paga depois que o serviço já estiver feito (isso é bom pra quem tem receio de reservar/pagar coisas pela internet e levar calote!).

Screen Shot 2013-04-21 at 13.26.10

Pra entrar em contato com eles mande um e-mail para tamtourslondres@gmail.com e o Fernando Tavares, ou um de seus sócios darão todas as informações necessárias!

 

P.S.: A Tam Transfer London é o novo parceiro do blog, mas esse post não é um publipost – as opiniões e recomendações são minhas, e por ter testado e aprovado o serviço da empresa, aceitei a parceria :-)

tamtourslondres@gmail.com

 

Categorias: Aeroportos, Conhecendo Londres, Dicas Uteis, Inglaterra, Transporte, Viagens
56
31
Jan
2013
Londres: promocao “2 for 1″ – como funciona?
Escrito por Adriana Miller

Entre as muitas coisas pela qual Londres é famosa, os preços altos com certeza é um problema/impecilho para qualquer pessoa que pretende visitar a cidade.

Se por um lado, tanta coisa legal pra ver/fazer na cidade é 100% de graça, tudo que é pago, custa bem caro.

E é por isso mesmo que promoções como a “2 for 1” chama tanta atenção! Duas entrada pelo preço de uma?! Pra já!

Então recebo muitas perguntas sobre como funciona e como conseguir o desconto, mas infelizmente essa oferta não é tão simples assim de se conseguir…

20130130-141900.jpg

E o motivo é simples: A promoção, patrocinada pelo “South West Trains” (um empresa privada de trens que cobre o Sudoeste da Inglaterra), tem na verdade, a intenção de incentivar o turismo interno, de trem.

20130130-141907.jpg

Ou seja, só se classifica pra essa promoção quem vier de fora de Londres, viajando de trem, o que não é o caso da maioria dos turistas extrangeiros que visitam a cidade.

Então outros meios de transporte, e outros tickets, tipo Oyster, Travel Card de metro/Ônibus etc não são válidos e não classificam nem dão direito a essa promoção.

Portanto a regra numero um para poder se beneficiar da promoção “2 for 1″ é vir de FORA de Londres e chegar na capital viajando de trem, proveniente de algum outro destino DENTRO do Reino Unido (tickets de Eurostar também não são válidos para essa promoção – todas as regras em relação a tipos de tickets, dias da semana e horários estão aqui)).

20130130-141914.jpg

Mas se esse é seu caso, e você mora ou esta hospedado fora de Londres, e pretende visitar a capital viajando de trem, se beneficiar pela promoção é super fácil, e praticamente sem burocracias:

photo

Basta pega o folheto da promoção em qualquer estação de trem, para verificar quais atração estão válidas durante aquele período (ou no site da promoção – as atrações variam de vez em quando) e preencher o formulário que vem no final do folheto (ou então baixar e imprimir o formulário disponível no site).

20130130-141929.jpg

20130130-141935.jpg

Então, com o voucher preenchido na mão e o ticket de trem do mesmo dia (a promoção só é válida no mesmo dia que vocie viaja pra Londres, então não pode “guardar” o ticket pra usar outro dia – porém se você tem um ticket mensal ou anual, então pode usar em qualquer dia que quiser durante aquele período) é só aprensentar os dois na bilheteria da atração que você quer visitar na hora de comprar seus ingressos e vocie recebe o desconto automaticamente.

20130130-141921.jpg

(Porém, atenção com atrações que requerem reserva antecipada – tipo exposições ou promoções de teatro. Se for esse seu caso, leia as regras da promoção específicas para aquele evento em especial).

Volta e meia o “Transport for London” lança promoções semelhantes onde é possivel conseguir descontos em atrações de Londres usando Oyster Card ou Travelcard de metrô/Ônibus. Mas essas promoções são infrequentes, então não dá pra contar com elas – mas é sempre bom ficar de olho no site e ver quais as últimas promoções disponíveis na época da sua viagem pra Londres.

Outra exceção são as promoções para visitar atrações que fiquem fora de Londres, mas que você precisa viajar de trem, a partir de Londres para alcaça-las, como por exemplo o Hampton Court Palace ou o Windsor Castle – recentemente até o Kew Gardens estava com uma promoção dessas, então vale a pena verificar quais as promções e atração do período de sua visita.

Kew_2for1
Para mais informações: “2 for 1″ Days Out Guide.

 

ATUALIZAÇÃO:

Depois de alguns comentários que vices deixaram por aqui, fiquei na duvida sobre a questão do travelcard de metro ser válido ou nao.
O site da promoção “2 for 1″, informa claramente que passes de metro e Oyster não sao aceitos, e o mesmo me foi confirmado por um funcionário no guinche da estação de metro em Waterloo.

Porém… Fiquei com a pulga atras da orelha e fui confirmar no guiche da estação de TREM em Victoria – e o funcionário que me atendeu esclareceu:

Travelcard de metro é aceito para a promoção “2 por 1″ APENAS se for comprado em uma estação de trem, direto no guichê de bilhetes e NAO na maquina do metro.

20130217-223632.jpg

Ah! E tem que ser o travelcard de papel!

Com isso na mão, aí é só seguir os procedimentos normais que expliquei acima. :-)

Categorias: Atrações Turisticas, Conhecendo Londres, Inglaterra, Transporte, Viagens
12
23
Jan
2013
Londres: Journey Planner – Como ir do ponto A ao ponto B e entendendo os endereços da cidade
Escrito por Adriana Miller

Uma das respostas mais comuns aqui no blog, mas mais difíceis (e chatinhas) de responder são as do tipo “Como vou do endereço X ao endereço Y?”. Porque? Oras, porque é impossível conhecer como a palma da minha mão uma cidade enorme como Londres, com tantas ruas e ruelas sem muita ordem urbana.

E eu já dei outras vezes a dica do Journey Planner, que seja para moradores, Londrinos e visitantes uma ferramenta indispensável – eu nunca saio de casa sem antes conferir qual a melhor maneira de chegar no lugar X, e em Londres a melhor maneira é sempre consultar o Journey Planner.

Journey-Planner

Voce pode procurar por exemplo pela estação de trem, metro ou ônibus, o pelo endereço do hotel ou do restaurante onde voce quer ir.

O sistema calcula exatamente as melhores rotas pra chegar até lá, te avisa de possíveis interrupções nas linhas de metro, ou ruas fechadas por obras (que afetam os onibus) e te dá algumas opções. Aí é só voce decidir qual roteiro prefere fazer levando em consideração o tempo de deslocamento, ou quantas vezes terá que trocar de linha ou de meio de transporte etc.

Screen-shot-2011-03-31-at-22.26.17

E quando voce clica no mapinha, tem uma outra ferramenta chamada “Wizard” que é interativa e mostra todo trajeto sugerido, onde trocar de linha, por onde andar, etc. Não tem mesmo como se perder pela cidade!

 Screen-shot-2011-03-31-at-22.27.04

Outra dica de ouro é sempre ficar de olho no código postal dos endereços que voce estiver procurando – em todo o país, é esse códico de letras-números que te dará a localização exata do endereço que voce estiver procurando.

Ao contrario do que vemos em outros países, o código postal é único e super específico, geralmente apontando exatamente pra uma determinada casa ou edifício. Então por xemplo, se você procurar um endereço qualquer usando apenas o nome da rua (no Google Maps, por exemplo) irá encontrar várias ruas com o mesmo nome, e o mapa te dará a localização genérica daquele endereço.

Já com o código postal, você é direcionado exatamente onde precisa ir.

Vamos usar por exemplo o Hotel Ritz, cujo endereço é: 150 Piccadilly, London W1J 9B

Se eu procurar a Piccadilly Stree no Google Maps, esse é o resultado:

Screen shot 2013-01-21 at 16.05.26

Não esta errado, mas o mapa me direcionou pra o meio da rua, numa “média” mesmo, qoeu provavelmente significa que eu usaria o meio de transporte errado, sairia na estação errada, e demoraria uito mais pra chegar no meu destino (imagina se você estivesse procurando seu hotel e carregando malas?!).

Mas se eu procurar pelo “Post Code” W1J 9B, que é específico do predio do Ritz (e mais nenhum outro endereço no pais), o mapa me mostra isso:

Screen shot 2013-01-21 at 16.09.21

Que é exatamente onde quero ir! (por isso sempre incluo enderecos com “post code” quando dou dica de lugares, atrações, restaurantes< etc aqui no blog).

Então ao usar o Journey Planner, a melhor maneira de chegar do ponto A ao ponto B é usando o código postal do endereço.

Screen shot 2013-01-21 at 16.14.23

Uma outra dica é pra quem usa Smartphones e pretende ficar conectado usando um SIM card (ou os pontos de wifi disponiveis por Londres) durante sua estadia em Londres: a App “City Mapper London”, que funciona igualzinho ao Journey Planner (que infelizmente não tem uma app oficial).

Citymapper

Você pode procurar por roteiros específicos, e selecionar qual meio de transporte prefere (Metrô, ônibus, barco, Taxi ou bicicleta), com toda explicação de como chegar a determinado lugar, quanto tempo demora de acordo com o meio de transporte etc.

E jea no meio do caminho, caso voce ainda tenha alguma duvida, basta seguir o mapa!

Categorias: Batendo perna, Conhecendo Londres, Inglaterra, Transporte, Viagens
12
14
Dec
2012
Transporte em Londres: Os preços em 2013
Escrito por Adriana Miller

Um dos posts mais acessados aqui no blog eh o super post que fiz ha um tempinho atras sobre absolutamente TUDO que voce precisa saber sobre o metro de Londres (tem ate video de como recarregar seu Oyster!).

As informacoes no post continuam super atuais e imprencindiveis pra quem vem pra Londres e quer usar o principal e mais eficiente meio de transporte – o metro.

Porem, todos os anos em Janeiro, o governo atualiza os precos das passagens e portanto os valores que estao no post ja nao serao mais os precos praticados em 2013.

E  nos ultimos dias eu andei reparando que todas as estacoes estao cheias de cartazes e folhetos informando os passageiros sobre as mudancas e novas tarifas - Entao esse post eh pro pessoal que ja gosta de sair de casa com tudo planejadinho, gosta de saber exatamente quanto vai gastar com cada item da viagem e nao quer se estressar com detalhes!

Os principios da matematica do metro de Londres continua o mesmo (vale a pena ler o post original pra saber qual o melhor ticket pra sua situacao).

Tube2013

Os diferentes tipos de passagens disponiveis continuam os mesmos e sao: “Cash“, que eh a passagem unitaria, de apenas uma viagem, comprada com ticket de papel (e sempre o pior custo-beneficio) Travelcard de 1 dia, 7 dias (que te da acesso ilimitado ao sistema de transporte por um determinado periodo de tempo – um dia inteiro ou uma semana inteira), Return ticket (ida e volta unicos) e Single Fare (passagem unitaria, porem comprada no seu Oyster, em vez da versao de papel). E claro, todos os custos ainda variam de acordo com as zonas viajadas dentro da cidade (quanto mais longe voce for, mais caro sera sua passagem).

E quem for passar bastante tempo em Londres, ainda temos as opcoes mensais e anuais.

A regra de ouro eh que o custo de um Travelcard de 7 dias sempre vai valer a pena se voce vai ficar 4 ou mais dias na cidade.

Como disse acima, os bilhetes ”Cash” são aqueles que voce chega na hora, compra um Single Fare (passagem unitaria) na versao papel. Essa passagem unitaria, apartir de 2 de Janeiro de 2013 vai custar £4,50 para qualquer viagem entre as zonas 1 e 4.

Porem, se voce comprar a mesma passagem usando seus Oyster, o mesmo trajeto custara apenas £2,80 entre as zonas 1 e 2, ate £3,80 para a zona 4.

Mas se voce sabe que voce vai e voltar de algum lugar, entao um Return Fare, ou Day Pass custa £8,80 libras no bilhete de papel e £8,40 no Oyster (entre as zonas 1 e 2) te dara acesso total ao sistema de transporte de Londres durante aquele dia.

Então voltando a minha questao matematica, quem for passar ate 3 dias em Londres, a cada dia,  compre o seu passe do dia. Vai custar uma media de £8,40 libras por dia, totalizando £26,40 Libras.

Porem, se voce ja adicionar um quarto dia a sua viagem, a conta passa de £26,40 para £35,20, enquanto que um Travelcard para 7 dias custa apenas £30,40 – ou seja, uma economia de £4,80!

E lembrando que os Travelcards (sejam semanais, mensais ou anuais) sao contados por dias corridos, e nao por dia da semana ou do mes – ou seja, se comprou seu Travelcard na 4a feira de manha, ele sera valido interruptamente ate a terca feira seguinte a meia noite.

O Oyster eh sempre uma super vantagem – O custo do cartaozinho eh de £5 Libras, mas se voce comprar junto com um Travelcard semanal, o Oyster sai de graca (basta comprar seu Travelcard no guiche em vez de usar as maquinas).

Caso contrario voce pode guardar seu Oyster como souvenir (ou pra sua proxima viagem, pois tenho certeza que voce vai querer voltar em breve!!) ou entao develve-lo na estacao e receber seu dinheiro de volta.

E para todos os outros posts com informacoes sobre os meios de transporte em Londres:

- Metro

- Onibus

- Barco

- Taxi

 

ATUALIZAÇÃO:

Surgiram algumas duvidas em relação as zonas de Londres e se os passes pra determinada zona são limitantes ou não.

O mapa abaixo (tirado no proprio site do “Transport for London”) mostra todas as linhas de metro de Londres e em qual zona estão localizados – como vocês podem ver, realmente quase todas as atrações turísticas estão localizadas na zona 1 ou 2, portanto um Travelcard basico, que cubra essas duas zonas geralmente é o que basta para turistas.

Mapa metro Londres

Porém ao comprar um passe pra zona 1 e 2 não quer dizer que você não pode viajar pra fora dessas zonas, muito pelo contrario.

A diferença é que se seu passe só é válido na zona X e você quer viajar pra zona Y, basta ir no guichê ANTES de embarcar e pedir pra comprar uma extensão de seu bilhete da zona X pra zona Y (que sai bem mais barato que comprar um bilhete inteiro).

Caso você não faça isso, ao chegar na estação de destino, fora da zona de seu Travelcard, você não vai conseguir passar pela catraca e terá que pagar uma multa no ato (que geralmente custa £20 Libras, paga na hora e sem segunda chance!), e caso você tentar entrar numa estação fora de sua zona, seu passe simplesmente não vai funcionar, então você terá que comprar uma extensão (ou um novo bilhete).

 

Categorias: Conhecendo Londres, Inglaterra, Transporte, Viagens
23
07
Dec
2011
Aldwych Station – passeando por uma estação histórica do metrô de Londres
Escrito por Adriana Miller

Semana passada eu escrevi um Tweet interessante: que estava realizando o sonho turístico de fazer uma tour por uma estação histórica (e desativada) do metro de Londres.

Na verdade essa história toda começou ano passado quando o London Transport Museum organizou uma abertura inédita da estação Aldwych para comemorar o aniversário de 70 anos da Blitz Londrina surante a Segunda Guerra Mundial.

A “blitz” como é conhecida entre os Ingleses, é um dos fatos históricos recentes mais marcantes do Reino Unido moderno. Durante 76 dias e noites consecutivos o exercito Alemão bombardeou a cidade de Londres entre 1940 1 1941, destruindo mais de 1 milhão de casas e matando mais de 40 mil civis.

Durante todo esse período a vida na cidade (e o pais, o continente e o mundo) ficou em pausa, e os resultados não forão ainda mais desastrosos porque o Tube e a rede extensa de tuneis e passagens subterrâneas serviram de abrigo para milhares de Londrinos, todos os dias.

Mas o passeio que eu fiz não teve nada a ver com a Blitz – pelo menos não diretamente, mas mesmo assim é impossível separar os fatos.

A estação de Aldwych é uma das 26 estações (fiquei impressionada de saber que são tantas!) que foram desativadas ao longo dos anos, por diversos motivos. Algumas eram antigas demais e se tornaram um riso a segurança dos passageiros. Ou simplesmente não tinham movimento suficiente para justificar os custos de manter uma estação. Ou então tinham algum problema  mais bobo (como por exemplo ser uma estação pequena perto demais de uma estação maior) e que já não valia mais apena manter-la.

A estação de Aldwych foi originalmente fechada em 1914, quando ainda era a estação Strand (da Piccadilly Line – nome da rua onde esta localizada, perto da Somerset House). Depois disso a estação foi reaberta de novo durante uma expansão da Northern Line com o nome de Aldwych, e funcionou, usando a estrura do inicio do seculo até a decada de 90.

Mas como o maquinario da estção era antigo demais, caro demais e a estaçnao não era muito movimentada, o Transport for London decidiu fecha-la de novo, e assim permanece até hoje.

Mas a estação ainda é muito utilizada para filmagens – já estrelou em filmes como “V for Vendeta” e alguns tantos James Bonds antigos.

Mas o principal atrativo de Aldwych é seu papel histórico durante a Blitz – por ser uma estação que já estava desativada durante a guerra, ela foi uma das primeiras a ser “invadida” pela população no auge do desespero dos bombardeiros (cerca de 170 pessoas morreram pisoteadas tentando entrar desesperadamente na estação!), e que abrigou milhares de familias em suas plataformas, túneis e vão do elevador enquanto as bombas destruíam a cidade.

Uma das plataformas, foi totalmente vedada e tinham policiais armados escoltando sua entrada – foi ali que ficaram abrigados as reliquias de museus como o British Museum e o Victoria & Albert Museum!

Ítens como a múmia de Cleopatra e os marmores do Partenon Grego ainda existem pois foram protegidos da guerra ali em baixo.

O chocante foi ouvir o guia contar como o governo se preocupar em vedar os tuneis com bateriais anti bomba pra proteger as peças dos museus, mas não as plataformas onde estavam abrigando pessoas!

O passeio foi curto (apenas uma hora, e a estação é bem pequena), mas foi simplesmente demais ver por dentro um lugar tão histórico, e entender como o metro – esse meio de transporte tão corriqueiro e moderno que usamos hoje em dia – já fazia parte da vida dos Londrinos no inicio do seculo 20, e como era diferente!

O elevador enorme de madeira maciça, com um operador “humano”, as plataformas com iluminação de lanternas, e os posters antigos da época (que não são os originais, pois foram trocados ao longo dos anos, mas são “vintage” original).

Infelizmente nenhuma das estações desativadas são abertas para visitação, então não funcionam como museus (e segundo o guia, nunca funcionaram…), por questões de segurança e tal, além dos direitos de imagem do “Tube” que hoje em dia lucra bastante cedendo suas locações para gravações.

Mas como o evento ano passado foi um grande sucesso, o prefeito aceitou abrir as portas da estação de novo esse ano… então quem sabe não viram um evento anual em breve?

Pra ficar de olho em outras ações e eventos do London Transport Museum, fique de olho no site deles!

 

Categorias: Conhecendo Londres, Eventos, Inglaterra, Transporte, Viagens
13
23
Oct
2011
T.V. EveryWhere: Viajando de Eurostar
Escrito por Adriana Miller

Ano passado quando fui a Bélgica de trem e fiz um post sobre o EuroStar, explicando mais ou menos as praticidades de como viajar entre a Inglaterra e o continente Europeu. Mas volta e meia ainda aparecem algumas perguntas e duvidas, sobre check in, sobre imigração entre os países, sobre bagagens e sobre o conforto dos trens.

Então aproveitei a viagem a Paris pra fazer um vídeo mostrando todo “processo” de viajar de EuroStar.

Na verdade, não ha maneira mais simples e fácil de viajar entre Londres e Paris (ou Londres e Bruxelas), basta lever algumas coisas em consideração:

- As passagens:

As passagens EuroStar podem ser compradas on line, por telefone ou direto na Estação de Trem (St Pancras em Londres, Gare du Nord em Paris e Brussele Midi em Bruxelas), mas sempre de preferência pelo ticket eletrônico. Assim você evita ter que pagar taxas extras de envio da passagem pelo correio, e agiliza o processo de check in e embarque, pois você imprime sua passagens com um código de barras em casa e passa direto pelo portão eletrônico de embarque.

- Imigração:

Tenha a mão todos os documentos necessários para entrar/sair de cada pais. Para sair de Londres você tem que passar pela policia imigratória Francesa, e pra sair da França você passa pela polícia de imigração Francesa E Britânica, que são tão exigentes quanto (ou até mais) que em aeroportos.

- Bagagem:

Uma das grandes vantagens de viajar de trem é que você não terá limite de peso de bagagem. Mas por outro lado, sua bagagem não será “despachada” e você terá que carregar cada volume de bagagem por conta própria. Incluindo ter que passar pelo check in, imigração, segurança, embarcar no trem e armazenar suas malas nos espaços específicos do vagão.

Além disso, depois de passar pelo check in e imigração você e suas malas passam pela area de segurança da estação, onde todas as malas, bolsas, casacos e afins passam por raio-x e detector de metais. A grande vantagem é que por ser um trem, você pode levar quantos litros de liquidos quanto quiser em suas malas. Isso vale pra itens de necessaire, mas também pra vinhos, comidas e afins.

- Dentro do trem:

As passagens são vendidas com assento marcado, então procure o vagão certo e sua poltrona.

Os trens são novos e super confortáveis, com tomadas para recarregar laptops, celulares e afins. Todos os vagões tem banheiros (bem limpinhos diga-se de passagem) incluindo lugar pra trocar fralda, e sempre têem também um vagão restaurante, onde você pode comprar chá, café, vinho, sanduíches e etc.

- Chegando no destino final:

Basta recolher todos os seus pertences, sair do trem e voilá!

Todos os procedimentos de viagem já foram feitos antes do embarque, então você não precisa mais passar por alfândega, nem imigração nem nada!

 

P.S.: O vídeo mostra também a area de guarda volumes da estação Gare du Nord em Paris, que é uma duvida comum, pois a gente sempre fica na duvida se entre paranóias de segurança na Europa ainda existem o não os guarda volumes nas estações e aeroportos.

Em Londres, na estação Saint Pancras, o guarda volumes é administrado pela empresa Excess Baggage, mas em Paris Gare du Nord o guarda volumes faz parte da estação mesmo, e fica meio escondido no subsolo láaaa no canto da estação.

Antes de entrar na area do guarda volumes você tem que passar por uma area de segurança tipo de aeroporto, onde você e suas malas passam por raio-x e detector de metais, e lá dentro estão os lockers automáticos, operados com moedas de Euro (mas eles tem umas maquininhas que trocam suas notas (de Euro) por moedas.

O processo é todo automático e simples, mas não tem ninguém lá dentro pra ajudar (seja com as instruções, seja com o peso das malas).

No nosso caso, fomos pra estação bem cedo, antes de começar nosso dia em Paris e deixamos as malas no guarda volumes. Passeamos por Paris o dia todo, e voltamos pra estaçnao antes de embarcar no Eurostar, recolhemos as bagagens e fomos direto pro trem.

Fácinho, facinho.

 

Categorias: Conhecendo Londres, Dicas (Praticas!) de Viagem, Eurostar, França, Inglaterra, T.V. EveryWhere, Transporte, Viagens
33
16
Oct
2011
Heathrow Express: A maneira mais fácil e rápida de chegar de Heathrow ao centro de Londres (e vice e versa)?
Escrito por Adriana Miller

O aeroporto de Heathrow eh o maior aeroporto da cidade de Londres, do Reino Unido e da Europa, e um dos maiores e mais movimentados aeroportos do mundo. Nos seus 5 terminais, mais de 90 cias aereas do mundo todo pousam e decolam todos os dias, levando e trazendo viajantes para todas as partes do planeta.

Entao grandes chances de que sua viagem pra Londres provavelmente vai comecar e/ou acabar em Heathrow.

Porem, assim como os outros 4 aeroportos de Londres (Gatwick, Luton, Stansted e City) o Heathrow tambem eh afastado do centro da cidade, fazendo com que a locomocao entre o aeroporto e o centro seja demorada e cara.

Porem o Heathrow eh o unico aeroporto dos 5 que eh servido pela linha de metro (o City Airport tem uma linha de DLR, que eh metro de superficie), e a linha Piccadilly (azul escuro) cruza todo o centro de Londres e te deixa na porta dos terminais 1, 2&3, 4 e 5.

O preco eh modico (cerca de 6 libras pra ir da zona 1 ao aeroporto) e o servico frequente (metros da linha Piccadilly circulam a cada 5 minutos), porem os pontos negativos sao muitos! Pra comecar que uma viagem basica, sem trocar de linhas mais que 1 vez, entre a zona 1/turistica de Londres e o aeroporto leva uma media de 1 hora e meia de viagem!

Isso sem falar que voce provavelmente tera que trocar de linha, algumas estacoes nao tem escada rolante nem elevador, as linhas do metro vivem sofrendo atrasos ou problemas…. ou seja, um trajeto relativamente simples, pode facilmente se tornar um pesadelo.

Entao a alternativa eh simples: o service de trem Heathrow Express, que conecta o centro/noroeste de Londres com os terminais 1, 2 e 3 em 15 minutos e os terminais 4 e 5 em 20 minutos!

(Atencao: pra quem viaja pelo terminal 4, eh preciso pegar o Heathrow Express ate a estacao “Heathrow Central”, que eh a estacao do terminal 1,2 e 3, e trocar de trem, para o servico que conecta com o terminal 4 – geralmente voce nem precisa trocar de plataforma. basta sair do trem e uns minutos depois a conexao para o terminal 4 chega)

O Heathrow Express sai da estacao de Paddington a cada 15 minutos, com trens comecando as 5 da manha, ate cerca de 11:30 da noite. Para verificar a tabela de horarios completa, clique AQUI.

Os trens sao super confortaveis e novinhos, com wifi de graca (que funciona mesmo!) durante toda sua viagem e cada vagao do trem tem um area especifica pra voce guardar sua bagagem (com dividorias para malas grandes e medias, e maleiros em cima das poltronas para malas e bolsas pequenas).

A estacao de Paddington, de onde sai o Heathrow Express eh servida pelas linhas de metros Bakerloo (marrom), Hammesmith & city (rosa), a Circle (amarela) e Distric (verde), que te levam pra qualquer lugar da cidade (zona 1) em cerca de 20 minutos.

O unico contratempo do servico Express eh o preco. Enquanto que a viagem de metro custa uma media de 6 libras, a viagem de trem tem precos a partir de 16,50 libras por cada perna da viagem.

O preco mais baixo eh o da reserva on line, entao se vc ja sabe que horas vai chegar ou sair de Heathrow, uma boa opcao pra economizar um pouco eh comprar sua passagem on line.

Caso contrario, os tickets comprados nas maquinas ou no guiche da estacao custam £18 e os tickets comprados a bordo do trem (sempre tem um guardinha andando pelo trem vendendo tickets) custam £23. Caso voce tenha um Smartphone, podera tambem comprar seus ticket na app do Heathrow Express a qualquer momento, sempre pagando a tarifa mais baixa.

Pra quem chega em Londres via Heathrow achar a estacao do aeroporto eh bem facil, e cada terminal terá a sua.

As areas de desembarque sao super bem sinalizadas, e logo que recolher sua bagagem e passar pela alfandega voce imediatamente vera as plaquinhas indicando a direcao dos trens (que vai aparecer como “Trains” ou como “Heathrow Express”).

No terminal 5 (o mais novinho e moderno) tem uma estacao enorme de trem, no subsolo do terminal, e geralmente eh possivel tirar duvidas e comprar sua passagem de trem com os funcionarios do heathrow Express que ficam de plantao na area do free shop (que eh bem pequeno, um “corredor” na saia do desembarque).

20111027-090406.jpg

Ao chegar na estacao, caso voce ainda nao tenha comprado seu ticket, se diriga a0 guiche de atendimento, as maquinas automaticas ao a algum funcionario na plataforma (e se por azar – os nos horarios muito cedo ou muito tarde – nao tiver ninguem na estacao, voce pode deixar pra comprar seu ticket a bordo do trem.

Entao voce vera duas plataformas: uma para o Heathrow Express e outra para o Heathrow Connect.

O Heathrow Connect eh outro servico de trem que atende o aeroporto, mas eh um servico lento, e apesar de que a estacao final tambem eh Paddington, essa linha faz um caminho diferente (e mais longo e demorado) pelo leste de Londres.

Entao a nao ser que voce va se hospedar em algum dos bairros servidos pelo Connect, tome cuidado pra nao pegar o trem errado, se nao sua viagem vai demorar o dobro do tempo!

Uma vez ja em Paddington, basta seguir as placas que indicam a entrada pra estacao de metro, ou entao a saia para o ponto de taxi , de onibus ou trens para outras partes do pais.

 

Categorias: Aeroportos, Conhecendo Londres, Dicas Uteis, Inglaterra, Transporte, Viagens
37
30
Jun
2011
Transporte em Londres: River Bus
Escrito por Adriana Miller

Dando continuacao a serie de posts sobre o transporte em Londres (ja falei aqui sobre as bicicletas de aluguel, onibus, metro, aluguel de carro, taxi e trem) uma outra maneira muito legal e eficiente de se transportar por Londres eh usando os servicos de barco, ou o “River Bus” (que significa “onibus de rio”) que cruzam o rio Tamisa de cima a baixo.

Todas as "Estacoes" (Piers) ao longo do rio

Porque pensa bem, o Tamisa eh a veia central da cidade, e muitos de seus bairros, distritos financeiros, pontos turisticos e zonas residenciais estao as margens do rio, entao realmente a maneira mais facil de conectar todos eles eh pela agua!

O servico eh disponibilizado pelo Transport for London, que eh a mesma organizacao que administra onibus, trams e metro e os roteiros sao super uteis – tanto pra quem usa os barcos diariamente pra ir ao trabalho, quanto pra quem esta aqui a passeio e quer ver Londres sob um ponto de vista diferente – de “dentro” do rio!

Os barcos realmente sao a maneira mais facil de chegar por exemplo do Southbank a Greenwhich, ou do centro de Londres ao The O2.

Existem diferentes tipos de barco, mas todos fazem parte o TFL, mas cada rota tem sua concessao diferente (que tambem impacta precos, regularidade do servico e tal) e eles sao: Thames Clippers, Thames River Taxi e City Cruises.

Dependendo de qual ponto voce pegar seu barco e qual roteiro for fazer, o servico sera operado por um barco diferente, e por isso tambem cada um deles cobre um preco ligeiramente diferente, que varia entre £3,30 a £8,60 (quanto mais longe e mais fora do centro de Londres, mas caro fica, assim como o metro e onibus). CLIQUE NO LINK PARA VER AS DIFERENTES TABELAS DE PRECO

Infelizmente os seu Travel Card e/ou Oyster nao da acesso a todas as rotas dos barcos, mas basta apresentar seu Travel Card da semana (ou mes, ou ano) ou seu Oster card (Pay as you go ou travel card) pra receber um desconto no ticket do barco.

Viajar de barco em Londres alem de divertido, vale super a pena principalmente nas rotas que ligam as parte norte com a parte sul do rio, que poderiam demorar horas entre trocas de linha de metro, onibus, engarrafamento e afins. Sem falar que de barco eh muito mais divertido!

Mas infelizmente o servico nao eh tao frequente quanto o resto do sistema de transporte, entao eh sempre bom ficar de olho nos horarios do barcos que vao na direcao que voce que viajar. A media de horario durante a semana varia entre 15 a 20 minutos nos horarios de pico, a 30 minutos no fim do dia ou de manha bem cedo, e os ultimos barcos (que geralmente sao cerca de 23:00 a nao ser que seja algum servico especial – geralmente organizado quando Londres sedia grandes eventos e shows) so passam de hora em hora.

Voce Pode usar o Journey Planner para verificar roteiros de barcos e horarios de acordo com o pier AQUI.

Mas mesmo se sua intencao nao for chegar do ponto A ao ponto B da cidade, e sim dar uma voltinha pelo Tamisa e tirar foto da paisagem, o Transport for London tambem regulamenta e organiza varias rotas e servicos de “River Tour”, que geralmente o barco vai passeando mais tranquilamente pelo Tamisa, as paradas sao mais estrategicas e a maioria dos barcos tem inclusive uma parte aberta (nao recomendavel no inverno!) perfeita pra fotos!

Alguns servicos podem incluir ate almoco ou jantar a bordo, fazer o roteiro completo do Tamisa!

Assim como o servico do “onibus de rio” os tours tambem tem precos variaveis de acordo com o roteiro que voce quer fazer, que estao na tabela abaixo. (Tabela completa de roteiros e precos AQUI)

E se voce for assistir algum evento, como shows na O2 ou no futebol no Wolwich Arsenal, eh sempre bom comprar sua passagem com antecedencia, pra evitar as filas quilimetricas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Categorias: Conhecendo Londres, Dicas Uteis, Inglaterra, Transporte, Viagens
12
Página 1 de 3123