22 Oct 2012
30 comentários

Viajando Gravida: 2o Trimestre

Baby Everywhere, Gravidez

O segundo trimestre de minha gravidez foi tao tranquilo (na verdade, bem mais!) quanto o primeiro, e agitadissimo em termos de viagens!

Eu e o Aaron fizemos questao de aproveitar bastante o verao Europeu e fazer varias coisas que sabemos que vamos passar muitos meses sem poder/conseguir fazer, tanto em Londres quanto pela Europa.

20121022-120816.jpg

Foram o total de 7 fins de semana consecutivos viajando, isso sem contar as viagens a trabalho ao longo das semanas, alem de nossas ferias finais, a babymoon que fechou a temporada 2012!

O segundo trimestre eh a fase mais recomendada e liberada para viagens – sejam de aviao, carro, trem, barco ou seja qual for o meio de transporte que voce escolher!

Os riscos e perigos do primeiro trimestre ja desapareceram (ou melhoraram bastante) e com sorte voce ainda nao vai estar muito “grande” nem desconfortavel fisicamente pra enfrentar as horas de viagem, mudancas na rotina, na alimentacao, fuso horario e afins.

Mas ainda assim eh uma epoca que requer cuidados especificos e especiais, e apesar de que tudo que mencionei que fiz/usei em minhas viagens no primeiro trimestre continuam valendo (clique AQUI pra ler a lista completa), adicionei mais alguns itens na lista, por recomendacao medica, senso comum ou opcao/preferencia/experiencia pessoal mesmo.

Agua, agua, agua: Mais que nunca, beber MUITA agua eh importantissimo durante viagens, pois a medida que o bebe (e voce!) cresce, estar sempre bem hidratada faz uma diferenca enorme em sua energia, inchaco, retencao liquida, adaptacao a fuso horarios etc.

Banheiro, banheiro, banheiro: Uma consequencia indispensavel do iten “agua”. Com um bebe maior fazendo peso na sua bexiga cada gole de agua se torna rapidamente na maior vontade incontrolavel de fazer xixi da sua vida, oque eh um saco, e torna tentadora a ideia de nao beber aquele segundo litro de agua recomendavel… Mas na verdade, a melhor opcao eh simplesmente aceitar que voce vai ter que fazer xixi o tempo TODO, e se preparar pra isso: lenco de papel sempre na bolsa, olho atento nas placas que indicam “Banheiro” onde quer que voce va, e o principal – cara de pau! Dificilmente alguem vai recusar deixar uma gravida usar o banheiro, seja em lojas, bares, cafes, etc em qualquer cidade do mundo. E se programe… parece bobeira, mas eu me tratava como crianca: sempre usar o banheiro antes de sair pra rua, mesmo que nao esteja com vontade – e o principal, catar um banheiro com urgencia, sempre que a vontade bater (pra evitar desconforto, infecoes, etc).

Levantamento de peso: A minha principal mudanca nessa fase foi aceitar os limites do meu corpo, e reconhecer que por mais que eu me sentisse “normal”, eu nao poderia ter um comportamento “normal” em relacao a minhas malas. Entao eu passei a limitar ainda mais oque levava em cada viagem (isso foi facil, ja que a maioria esmagadora de minhas roupas ja nao servem, entao eu ficava na tentacao de levar mais um peca (ou 10!) “so por via das duvidas”, ja que nada cabe mais em mim mesmo!), e o principal foi passar a despachar bagagem, mesmo em viagens curtas.

20121022-120832.jpg

Eu sempre preferi viajar com bagagem de mao, principalmente em viagens rapidas e curtinhas pela Europa, mas nos ultimos meses passei a sempre despacha-las. Por mais que sua mala nao esteja pesada, nao eh recomendavel ter que ficar carregando peso extra ao subir e descer escadas, pra colocar sua mala no maleiro do aviao, etc. Essa foi uma adapacao dificil pra mim, pois acho um saco ter que chegar mais cedo no aeroporto pra despachar a mala, depois ter que esperar a mala dar as gracas na esteira, etc. Mas o risco nao vale a pena.

Outra mudanca foi: Nao carregar as malas e ponto. Viajar sozinha foi se tornando mais dificil, mas por sorte so fiz viagens rapidas e curtinhas entao nao tive problemas com as malas. Mas quando fomos pras Maldivas, eu ja fiz minhas malas pensando em “o Aaron vai ter que carregar as duas malas o tempo todo” e assim decidir oque levar, que mala/mochila levar etc.

Nao viajar sozinha: Eu fiz varias viagens a trabalho sozinha nesse periodo e nao tive problema algum – mas foram todas bem rapidas e por curtas distancias, alem de estar sempre rodeada por colegas de trabalho, conhecidos etc.

Mas nao fiz nenhuma “extencao” em minhas viagens esse ano, justamente pois nao queria “estar” sozinha em momento algum. Eu tive alguns casos de pressao baixa e tonteira que me assustaram um pouco (sempre em Londres, por sorte), entao ter sempre alguem por perto me parece mais seguro. Alem de ter alguem pra te ajudar com as malas (como falei acima), e caso ocorra alguma emergencia qualquer.

Pressa: A pressa ja eh a inimiga da perfeicao em qualquer situacao da vida, mas quando voce se move com mais dificuldade, nao pode sair correndo de um lugar pro outro, fica mais dependente da ajuda dos outros, precisa parar 37 vezes entre o ponto A e o ponto B pra achar um banheiro… se os minutos estiverem contados, voce vai se atrasar e provavelmente se estressar atoa e ate mesmo arriscar perder o voo/trem/etc.

Sempre calcule um tempo(ao) extra pra chegar em aeroportos (ou estacoes) com calma, e lembre-se que na Europa e EUA gravidas nao tem acesso preferencial a NADA – entao voce tem que esperar na fila como todo mundo, nao vao te oferecer assento no trem/onibus nem ninguem vai te tratar diferente/melhor por causa da sua barriga.

Tempo ao tempo: Outra mudanca que eu fiz em meus planejamentos de viagem foi (me) dar mais tempo. Se antes eu conseguiria passar 12 seguidas andando por ruas e monumentos e atracoes sem parar pra descansar depois de ter acordado as 4 da manha pra chegar no aeroporto… esses dias acabaram (pelo menos por enquanto!).

Doi as costas, as pernas, bate sono etc Entao tive que aceitar que ja nao dava pra viajar com o mesmo ritmo de antes. E consequentemente o planejamento de cada uma de nossas viagens teve que se adaptar ao novo ritmo.

Outra mudanca foi chegar mais tarde e voltar mais cedo. Me explico… Eu sempre tentei aproveitar cada segundo de cada viagem, sempre buscando o voo que saisse mais cedo e que voltasse mais tarde – e muitas vezes ja desembarcava do aviao e ia direto pro escritorio, virada. Hoje em dia ja nao me permito fazer isso, pois eh muito mais dificil me recuperar depois.

Entao principalmente na volta, agora eu preciso de um tempinho de descanso, mesmo que isso signifique perder um pouco das ferias e da viagem. Um bom exemplo foi nossa viagem pras Maldivas. Em vez de tentar aproveitar ate o ultimo minuto da viagem (que seria meu normal), marquei nossos voos pra sabado de manha, sabendo que perderiamos o ultimo fim de semana no paraiso, ops, nas Maldivas, mas em compensacao ganhariamos 2 noites (e um domingo inteirinho) em casa pra descansar, colocar o sono e o fuso em dia e relaxar antes de voltar pra rotina. E foi OTEMO!

Prove suas roupas: Essa eu aprendi na marra, principalmente porque minha barriga demorou bastante pra aparecer, mas quando chegou, veio com tudo e de um segundo pro outro!

Eu ja andava reclamando que as roupas nao me serviam bem ha varios meses, mas foi um susto perder meia duzia de pecas de um dia para o outro, principalmente quando voce esta viajando e tem uma disponibilidade pequena de pecas a disposicao!

Entao eu acabei perdendo 2 shorts durante a viagem pras Maldivas, pois eles serviam (meio apertadinhos) umas semanas antes e eu esqueci de experimentar tudo antes de fazer a mala. Resultado, passei a semana toda usando e re-usando os mesmos vestidos, pois acabei ficando sem nenhuma “parte de baixo” pra usar com minhas blusas e camisetas!

Se eu estivesse de ferias numa cidade grande talvez isso nao tivesse sido um problema tao grande, pois eu poderia simplesmente ter comprado outras pecas (oque nao foi possivel numa ilha deserta), mas a licao foi aprender a provar todas as pecas que forem entrar na mala, e permitir que sua mala “cresca” com voce, ja que nessa fase do 3 trimetre as mudancas no corpo sao diarias!

Conforto: Isso complementa o ponto acima, e foi uma dica que ja tinha mencionado no post sobre viagens no 1 trimestre, mas com uma barriguinha ja saliente isso foi ainda mais importante! Evitar qualquer roupa que possa apertar demais a barriga (nao so por causa do bebe, mas principalmente por causa da sua bexiga!!) e que obstrua sua circulacao (principalmente nas pernas). Meu uniforme oficial em praticamente todas as viagens foi um vestido longo de jersey preto, bem molinho e confortavel, que deu pra usar sozinho nas viagens calorentas, ou com uma roupa mais quentinha por cima nos destinos de frio.

20121022-120930.jpg

Datas e limites: Meu medico conhece bem meu estilo de vida e meu trabalho, e sabe que viajar eh uma parte importante disso, e como tudo tem corrido super bem fisicamente comigo e com a bebe, ele nao impos nenhum limite medico em minhas viagens.

Na verdade, segundo ele, se tudo continuar a correr bem , e contando que eu continue me sentindo bem e bem disposta eu posso continuar viajando o quanto quiser (seu unico limite foi que eu nao saia de Londres depois da semana 35, e essa data pode vir a mudar dependendo das avaliacoes pre-natal na reta final).

Porem, o grande limite e impecilho para viagens de aviao nao eh exatamente o quao avancada esta sua gravidez, nem o tamanho da barriga nem nada, e sim o limite que as cias aereas impoem a mulheres gravidas.

Ou seja, nao existe nenhum risco fisico em entrar num aviao na semana 30 ou depois, por exemplo (se tudo estiver correndo bem em terra firme, claro), porem como a partir da semana 30 ou 32 um bebe ja poderia nascer prematuramente, naturalmente, as cias areas nao querem correr o risco de ter que assumir a responsabilidade de ter uma passageira em trabalho de parto a 30.000 milhas de altitude!

Entao antes de embarcar (ou marcar a passagem) consulte sua cia aerea para entender quais restricoes eles impoem, ja que cada empresa tem regras diferentes.

A British Airways por exemplo limita o embarque a passageiras gravidas com mais de 36 semanas apenas (8 meses completos de gestacao) e gravidez de gemeos a partir da semana 32 (7 meses completos). Porem eles pedem que a partir da semana 28 (6 meses), ao embarcar, a passageira apresente uma carta de seu medico confirmando a data de nascimento e confirmando que sua gravidez nao tem complicacoes e voce e o bebe estao saudaveis e sem risco.

Segundo a British Airways (e meu medico), a carta eh simples, sem formularios nem complicacoes, como se fosse uma receita medica com as informacoes de seu medico num prontuario e nada mais. Mas ja ouvi falar de outras empresas que pedem que a gravida assine um atestado de responsabilidade antes de embarcar – entao sempre confira oque vai ser requisitado de voce.

Ah e claro, se sua viagem for para outro pais, nem esqueca de ter em maos copias da carta de seu medico em Ingles!!

 

De resto mantive minhas recomendacoes e dicas iniciais e basicas: levar meus proprios remedios, contato de medicos (em casa e no destino), ser mais cuidadosa com comidas e bebidas (principalmente em destinos exoticos), usar meia de compressao em voos, etc, etc.

20121022-121214.jpg

A maioria das mulheres gravidas nao viajam tanto quanto eu viajei nesses ultimos meses, e a grande maioria que viaja durante a gestacao, o faz durante o segundo trimestre (seja de ferias, uma Babymoon, ou pra ir fazer compras do enxoval em Miami…), entao eh bom aproveitar enquanto ainda rola vontade e energia e a trabalheira de viajar com um bebe pequeno ainda nao comecou!

Adriana Miller
Siga me!

Adriana Miller

Sobre a Autora at Dri EveryWhere
Adriana Miller, Carioca. Profissional de Recursos Humanos Internacional, casada e mãe da Isabella e do Oliver.
Atualmente morando em Denver, Colorado, nos EUA, mas sempre dando umas voltinhas por ai.
Viajante incansável e apaixonada por fotografia e historia.
Adriana Miller
Siga me!

Latest posts by Adriana Miller (see all)

Adriana Miller
30 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!
30 comentários
  1. Mariana - 22/10/12 - 14h13

    Alguns desses hábitos que vc mudou irão te servir quando o bebe nascer tbem (agua, pressa, tempo, despachar malas …), o corpo muda e se prepara pra chegada do bb, é muito perfeito.

    Responder
    • Adriana Miller - 22/10/12 - 14h29

      Com certeza!
      A gravidez (principalmente agora nessa fase final) esta sendo um otimo “treinamento” de como serao nossas viagens daqui pra frente.

      Responder
  2. Rebeca - 22/10/12 - 14h51

    Por curiosidade: Quantos dias de férias voce tem por ano? Eu pergunto porque aqui nos EUA eu só tenho 2as semanas :(

    Responder
    • Adriana Miller - 22/10/12 - 15h14

      Eu tenho 6 semanas! :-)
      (na verdade um pouco mais, pois sao 32 dias uteis)

      Responder
  3. Tania Pereyra - 22/10/12 - 15h06

    Adriana,
    Estou amando os posts. Estou gravida de 20 semanas e fui ao Brasil mes passado e usei seu post do 1º trimestre como base e viajei super bem de NY para SP. Roupa molinha, muita agua e meia de compressao.
    Agora no dia de Acao de Gracas vou visitar a familia do marido na Florida e ja anotei as dicas do 2ºtrimestre.
    Beijos e obrigada pelas dicas.

    Responder
    • Adriana Miller - 23/10/12 - 11h49

      Que legal!! Boas viagens pra voce tambem! :-)

      Responder
  4. Juliana P. Galvao - 22/10/12 - 15h36

    Acabaram as viagens (a trabalho e a lazer)????

    Responder
    • Adriana Miller - 22/10/12 - 15h56

      A lazer sim, nao temos mais nada marcado ate ano que vem (ja com a baby!).
      E a trabalho talvez eu tenha mais uma ou duas viagens agora em Novembro, mas ainda nao esta nada marcado.

      Responder
  5. André Luis - 22/10/12 - 17h13

    dicas anotadas moça :P

    Responder
  6. Ana Carolina - 22/10/12 - 20h45

    Dri, como está a ansiedade em relação a como será depois que ela nascer? Já caiu a ficha de que uma outra (mini) pessoa vai fazer parte da vida de vocês? Deve ser tão boa essa fase.. acho que a gente não sabe que pode amar tanto até ter um baby!!

    Responder
  7. Daiane - 22/10/12 - 21h07

    Que linda, dando dicas para as mamães!! Familia linda!

    Responder
  8. Luciana - 22/10/12 - 22h58

    Dri, como é a licença maternidade na Inglaterra? É igual ao Brasil (120 dias)?

    Responder
    • Adriana Miller - 22/10/12 - 23h06

      Existem diferentes opççoes, depende de onde vc trabalha – vou escrever um post sobre isso com calma.
      Mas a lei garante um ano (52 semanas) de licença para a mae e 12 semanas (3 meses) para o pai, mas parte dessa licença é não remunerada.

      Responder
  9. Elis - 23/10/12 - 03h05

    Dri, sei que esse não deve ser um de seus medos, mas é muito comum (infelizmente) pessoas terem medo de voar de avião. Você pode falar um pouco disso, se já passou por isso, como superou, ou se conhece pessoas q sofreram desse medo e superaram.
    Bjos

    Responder
    • Adriana Miller - 23/10/12 - 11h24

      Pois eh, outros leitores ja me pediram isso, mas eh tao dificil comentar sobre um assunto que nao “sei” nada a respeito!
      Nunca tive medo de aviao, e mesmo em situacoes onde tive voos com bastante turbulencia ou problemas “tecnicos”, nunca cheguei a passar medo, ou receio de estar “no ar”.
      E pra falar a verdade acho que nem sequer conheco, pessoalmente, ninguem que tenha medo a aviao a ponto de simplesmente nao voar… Entao nem saberia que dicas ou concelhos dar pra algue nessa situacao…

      Responder
  10. Virginia - 23/10/12 - 15h04

    Eu, nem de longe, viajei tanto quando você durante a gravidez. Mas voei bastante de avião, inclusive em turbo hélices não-pressurizados, e fiz muitas viagens longas de carro, porque morava no fim do mundo e fiz o pré-natal 900km de distância e nenhuma vez meu médico fez qualquer restrição. As diferenças são realmente das empresas aéreas e aqui no Brasil casa uma tem uma regra.
    Minha última viagem de carro eu tinha 36 semanas de gestação e foram 10 horas na estrada. Tudo tranquilo. O importante é saber o nosso limite.
    Ahhh e outra lenda e poder dirigir! Quantas e quantas gestantes param de dirigir porque seria perigoso! Segundo pesquisei não há qualquer empecilho. Dirigi até o dia do bebê nascer, inclusive rodava 90km todos os dias por causa do trabalho.
    Cada caso é um caso, mas sou partidária do “gravidez e bebê não é doença”! ;)

    Responder
    • Adriana Miller - 23/10/12 - 15h08

      Eu tambem!
      Imagina se vou deixar de fazer alguma coisa porque estou gravida e “fragil”.
      Claro que tudo tem seu limite e nao quero colocar meu bebe nem minha saude em risco… mas convenhamos que viajar (de aviao, trem, carro, onibus etc) esta longe de ser malabarismo com facas, neh?! Hahahahahah

      Responder
  11. Karina - 23/10/12 - 18h41

    Pois é, os papais tem que ter algum trabalho também, né? Já que o inchaço, a confusão hormonal e o peso concentrado são todos da mulher, que eles carreguem as malas rs. Você não acha mais fácil fazer uma mala única para o casal, já que a quantidade de peças não era muita? Eu já passei por uma situação de não poder carregar peso também e a solução melhor que encontramos foi essa, carregar 2 malas é mais desconfortável.

    Responder
  12. Nina - 24/10/12 - 17h45

    Oi Adriana, seu site é incrível!!! Não aguento mais de expectativa sobre o post de enxoval em Londres!!!! Estou grávida e com viagem marcada para Londres em dezembro! Bjsss e muita saúde para você e o baby!

    Responder
  13. ive - 10/06/13 - 01h12

    Olá, adorei o seu site. Vou para paris na minha 17 semana. Gostaria de dicas de onde comerce não comer e se há algum lugar que vale a pena comprar coisas de enxoval (não vou à miami) . Grata pela atenção e parabéns pelo site.

    Responder
  14. Luana - 18/06/13 - 02h28

    Adorei as dicas. Viajo semana que vem pra Miami pra comprar o enxoval da minha bebê. Uma coisa que me preocupa é quanto ao perigo das turbulências no vôo. Estou com 21 semanas. Vc passou por alguma turbulência nos vôos? Se sim, como foi? Foi turbulência forte, fraca? Tenho medo da turbulência causar algum dano colo descolamento de placenta etc… Vc passou por turbulências e correu tudo bem? Bjo e obrigada!

    Responder
    • Adriana Miller - 18/06/13 - 08h59

      i Luana,
      Por acaso não lembro de nenhuma turbulência não. mas não se preocupe!
      Para uma turbulência ser forte o bastante a ponto de causar descolamento de placenta o avião tem que estar prestes a cair!!
      Você e seu bebê não correm o menor risco!
      Mas não esqueça de fazer um check up com seu obstetra antes de viajar e garantir que esta tudo OK com você e o bebê (mas não por causa da viagem de avião em si, e sim pelo seu bem estar em geral).

      Responder
  15. Geyse - 30/09/13 - 22h50

    Muitooooooooo bom e “aliviador” esse post! Estou viajando de férias próxima sexta para a Europa (Portugal e Itália) e depois dessas dicas fiquei mais aliviada, já que minhas preocupações e cuidados são normais! Adoreiiiiiiiiii!!

    Responder
  16. debora - 02/04/14 - 17h52

    Ola, Dri!!!
    To pensando em engravidar. Na verdade ha ate uma grande chance de o baby estar a caminho. to planejando uma viagem a Europa de 14 dias(incluindo ida e volta). Amsterda,bruxelas, londres e talvez paris… Se eu ja tiver engravidado, viajarei na 28-29 semana. Tem algum problema? To apreensiva pq minha medica ta marcada p uma data distante. E eu to ansiosa p saber se tem problema. Ate poderia antecipar p Julho, mas e’ verao e ferias…Queria Setembro(ate pq faco 3 anos de casada).
    Me da uma ajudaaaa!!!
    Nos oteiros tbm…hihihi

    Felicidades,
    Bjao

    Responder
    • Adriana Miller - 02/04/14 - 18h12

      Oi Débora,
      Se você puder adiantar a viagem, provavelmente será melhor.
      A maioria das cias aéreas nao permitem que grávidas viagem depois das 26/28 semanas, e mesmo assim você precisa de uma autorização medica para embarcar, então tb vai depender se sua medica(o) vai achar legal ou nao você viajar já TÃO avançada na gravidez.
      Mas o que te diria mesmo é que dos 5/6 meses pra frente a gravidez começa a ficar cada dia mais desconfortável, você vai se sentir pesada, vai cansar atoa e sentir todo tipo de dores… Rsrs
      Eu viajei bastante durante minha gravidez, mas acho que a ultima (que foi a trabalho e rapidinha, na Europa mesmo), eu já estava com 27/28 semanas se me lembro bem e já nao aguentava mais! Já estava pedindo penico e só queria saber de ficar de pé pra cima! Imagina então passar o dia todo turistando, batendo perna por ai, dormindo em cama estranha de hotel (e trocando de hotel a cada poucos dias, fazendo mala, etc, etc).
      Ai já fiquei cansada só de pensar!!
      E olha que eu sou dura na queda pra viagens heim?! Kkkkk

      Responder
  17. Gabriela - 04/12/14 - 17h09

    Olá Dri,
    Sei que você já está em outra fase, mas ainda deve se lembrar das aventuras na gravidez, né? Estou no quarto mês de gestação plajando uma viagem para o sexto mês. Gostaria muito de conhecer a Itália, mas estou com alguns medos. Primeiro do frio. Eu adoro frio, mas moro em São Paulo, desconheço temperaturas negativas – rs. Será que vou sofrer com isso barriguda? Outra coisa, fico com receio de não conseguir aproveitar. Você sabe se grávidas tem prioridade em filas por exemplo? Todas as dicas são bem vindas! bjs Gabi

    Responder
    • Adriana Miller - 08/12/14 - 10h10

      Bem, depende de onde voce for na Italia, mas “temperaturas negativas”, so no norte da Italia e nas montanhas da fronteira com a Suica. No centro e sul da Italia o inverno eh super ameno e gostoso!
      Mas pra falar a verdade a gravidez aumenta demais nossa temperatura, e eu morri de calor mesmo no inverno de LOndres! Entao sempre recomendo viagens de inverno pra gravidas, acho muito mais confortavel do que viajar morrendo de calor com barrigao!

      Gravias nao tem prioridas nas filas nem nada disso, mas com 6 meses a barriga ainda nao eh muito desconfortavel nao (pelo menos a minha nao era, e eu tive barrigao-zao no final!). Mas acho o principal eh planejar bem os dias e os passeios, pra nao abusar demais do seu crpo.
      Reserve um hotel confortavel (se tiver Spa melhor ainda, vai por mim! :-)) e bem localizado, que possa ser acessado facilmente durante o dia, caso voce queria descansar a tarde ou tirar uma soneca depois do almoco entre passeios, por exemplo.
      Sapatos sempre super confortaveis, bolsa levinha pra nao castigar a coluna (a barriga ja vai se encarregar disso!) e roupas que nao apertem nem incomodem.
      E claro, planejar bem os dias de viagem pra nao sobrecarregar a programacao, que por sua vez vai te deixar muito cansada. Planeje tempo suficiente pra parar num cafe e relaxar varias vezes por dia, almocos longos e jantares romanticos – ou seja, nada muito corrido. Nao adiante tentar conhecer Roma em 3 dias – gravida numa babymoon, separe uma semana inteira, por exemplo!
      Assim voce teria tempo pra ir no Colisseu de manha, parar pra um cafezinho fofo, relaxar (e fazer xixi! Vou vai precisar!!), depois seguir para um museu e tals. Depois parar pra almocar com calma. De repente voltar pro hotel pra uma soneca. Depois, a tarde mais algum passeio, mais uma paradinha pra um sorvete, etc, etc.
      Acho que seria uma otima opcao de viagem, mas voce tem que aceitar que nao vai conseguir fazer tanta coisa (o que nao eh o menor problema!).

      Responder
  18. […] Viajando grávida no Segundo trimestre: […]

    Responder
  19. Viviane - 10/11/16 - 15h36

    Olá Adriana, muito obrigada pelas dias!
    Tem um receio, vou viajar e estarei com 26 semana, barriga acho que não vai ta muito grandona não, mas serão 08hs de voo para Miami e depois, mais 10 para Londres, estou acostumada com viagens longas, geralmente não me incomodam, mas estava pensando se compensa comprar um espaço extra, algo assim, embora nosso orçamento esteja apertado. Acho possivel ter um confortinho no voo, seguindo suas dicas, mesmo em classe econômica? Vou voar pela Britsh e pela America Airlines… Obrigada!

    Responder
    • Adriana Miller - 10/11/16 - 15h40

      Se couber no orçamento, espaço extra sempre cai muito bem!
      Dá pra sobreviver sem? Claro que dá!
      Acho que tem várias coisas que você pode fazer que vão ajudar no conforto durante o vôo, mas econômica é econômica, e nenhuma dica faz milagre :-)
      Então só você que sabe.
      Eu fiz várias viagens de econômica e fiquei de boa, mas também preferi pagar pelo upgrade em outras viagens e não me arrependi, pois realmente faz uma grande diferença!

      Responder