18 Apr 2012
31 comentários

Palacio de verao em Pequim

China, Dicas de Viagens, Pequim

Chega a ser um pouco ironico falar do “Palacio de Verao” de Pequim, sendo que nao soh chegamos la em pleno inverno, mas ainda pegamos o dia mais frio do ano e da nossa viagem!

Na verdade demos “sorte” com o clima (e depois de passar dois dias em Xian, realmente agradecemos a cada dia de ceu azul… que aparentemente tambem sao rarissimos em Pequim!) pois pegamos sol e ceu azul todos os dias. Mas a sorte parou por ai, ja que nesse dia, pegamos nada mais, nada menos que -17, com sensacao termica de -20 e poucos!

Mas por outro lado, esse frio todo deu um charme extra aos jardins e lagos, sendo que o frio estava tao extremos que TODOS os lagos do parque congelaram 100% solidos, e rapidamente se transformaram em ringue de patinacao!

Nos dedicamos um dia todo ao Palacio, mas que na verdade nao foi assim super inteirinho. Na verdade foi o dia que chegamos em Pequim vindos de Xian, e ate que chegamos na cidade bem cedo (nosso voo chegou tipo as 9 da manha), mas ai ate passar pela imigracao, recolher bagagem, chegar no hotel, fazer checkin, e finalmente se entender no metro de Pequim, la se foram algumas (muitas) horas.

O parque fica meio afastado da cidade, e sendo Pequim um cidade megalomaniacamente enorme, mesmo no metro (que eh maneira mais facil e rapida de chegar la) ainda demoramos mais de 1 hora, so dentro do trem. Entao sabiamos que nao era o tipo de lugar pra dar soh uma passadinha, e ja que teriamos essa metade de dia meio capengo, meio cansados, resolvemos ir direto pra la!

O “Palacio”, na verdade eh um parque/jardim com dezenas de templos e palacios la dentro, mas o nome oficial eh “Palacio de Verao”, pois todos o resto foi desenvolvido ao longo dos anos nos jardins do Palacio em decorrencia de sua importancia nas cortes das Dinastias Chinesas.

E esse Palacio eh a Torre do Incenso Budista, que fica no topo da Colina da Longevidade, e domina a paisagem e a vista do Lago Kunming.

A Torre do Incenso Budista eh realmente impressionante, com seus 3 andares e 40 metros de altura – inteiramente trabalhados em madeira com cores hipnotizantes, com uma estrutura octagonica, onde cada um dos 3 andares do templo apresenta 8 fachadas perfeitamente simetricas, que se reproduzem ns andares seguintes, sustentados por apenas 8 pilares de madeira.

O espaco total do parque tem cerca de 3 quilometros quadrados, sendo que ¾ dele eh justamente a area do Lago Kunming, que nos tivemos o privilegio de ve-lo numa das raras ocasioes onde ele se congelada integralmente!

E toda area do jardim em volta do lago foi desenvolvida para representar os diferentes estilos de arquitetura e paisagismo Chines, e mesmo passando muitas horas por la, nao chegamos nem perto de conseguir ver tudo! (e claro, o frio nao colaborou em nada!).

Uma outra grande atracao do parque eh o Corredor Long, que conecta o Templo da Benevolencia (logo na entrada do parque) ate o Barco de Marmore, circulando toda orla do Lago Kunming, e foi construido a mando do Imperador Quianlong, para que sua mae pudesse passear pelo lago protegida do sol e chuva. O nome dado ao corredor (“Long”) nao eh relacionado a quao longo ele eh, e sim por causa do nome do Imperador (Quianlong), que significa “Benevolencia Divina”.

O Corredor tem 728 metros de extensao, e assim como quase todos os outros templos do parque, eh inteiramente feito de madeira, e ricamente decorado, possuindo cerca de 14,000 pinturas individuais feitas a mao.

Na ponta extrema do Corredor Long esta o Barco de Marmore, uma estrutura interiramente feita de marmore, no formato de um barco, construido a pedido da Imperatriz Dowager Cixi.

O barco nunca teve a intencao de navegar, pois foi construido em terra firme na beirada do Lago, e supostamente representava a solidez da Dinastia Qing, que jamais “afundaria”.

Porem segundo os registros da epoca, os fundos gastos na construcao do “barco” foi o equivalente ao total do orcamento que o emperador tinha para renovar a marinha do imperio, oque deixou Quianlong falido e consequentemente o levou a sua eventual ruina para a Dinastia Tang.

La do outro lado do lago esta a Ponte do 17 Arcos, que se conecta a ilha Nanhu, que eh a maior ilha do Lago Kunming onde esta o Templo do Rei Dragao.

A ponte, eh a replica de uma outra ponte de Pequim, e representa o pescoco de uma tartaruga (ja que a Ilha Nanhu vista de cima, tem o formato de uma tartaruga), que eh o pricipal simbolo da longevidade na cultura Chinesa, e por isso e um animal sempre muito reverenciado pelos Imperadores Chineses.

O Palacio de Verao fica aberto  ano todo, e eh facil de chegar a partir de qualquer ponto de Pequim. O metro chega ate quase a porta do parque, e apesar de ter nao placas com direcoes em Ingles, nos achamos que foi relativamente facil de seguir o “fluxo” ate que finalmente achamos a entrada.

A entrada custa cerca de 5 dolares por pessoa, e uma vez la dentro as areas de suporte sao bem escassas. Entao pra quem quiser se programar para ficar por la o dia todo, eh bom levar sua propria agua e alguma coisa pra comer, ja que nao existem muitas opcoes la dentro – e as poucas que vimos, vendiam principalmente souveniers e muito cha, com poucas opcoes de comida (seja Chinesa ou nao).

 

Adriana Miller
31 comentários
10 Apr 2012
6 comentários

Xi’An: Citadines Hotel

China, Dicas de Viagens, Xian

Um dos principais requerimentos no planejamento a viagem pra China foram os hoteis. Apesar de nao sermos exatamente exigentes no que diz respeito ao numero de estrelas dos hoteis e albergues que nos hospedamos, sabiamos que uma viagem a China poderia ter complicacoes a mais, e portanto no minimo hoteis de rede internacional deveriam ser nosso requerimento basico.

E por sorte, na China um bom hotel de bandeira internacional e bom servico nao significa falencia do seu orcamento de viagens, entao nao tivemos grandes dificuldades em achar bons hoteis com precos otimos!

E o melhor custo beneficio da viagem toda com certeza foi o Citadines em Xi’an!

A rede de apart hoteis Citadines fazem parte da bandeira Inglesa de hoteis “Ascot”, e essa propriedade especifica de Xi’An tem um perfil “Apart-Boutique” que conseguiu combinar ao mesmo tempo um dos precos mais baixos com as notas mais altas no ranking do booking.com, entao reservei sem medo!

Alem disso, a diaria de US$40 por noite (por quarto/casal) incluia cafe da manha (ultra basico, mas melhor que nada) e uma localizacao excelente, a 2 quarteiroes das Torres do Sino e do Tambor de Xian, com um super shopping bem pertinho e muitas opcoes de restaurantes (inclusive muitas opcoes ocidentais como KFC, Starbucks, Pizza Hut, etc).

Eles tambem oferecem um servico de agencia de viagens (Agencia  China CITS, e-mail: China_cits@hotmail.com), e na mesma noite que chegamos no hotel pedimos que eles organizassem um motorista + guia para nos levar aos Guerreiros de Terracota na manha seguinte, o recepcionista (com Ingles perfeito) fez umas duas ligacoes e em 5 minutos nosso passeio estava planejado e reservado!

Essa passeio, que durou a manha toda (pois nao queriamos mais nenhuma “atracao” alem dos Guerreiros, entao foi mais curto que o normal) e custou cerca de 60 dolares (para nos dois) incluindo o carro particular (nao queriamos fazer esse passeio com um grupo grande, pois queriamos ter todo o tempo do mundo pra explorar e tirar fotos), o motorista e a guia que falava Ingles, oque saiu bem mais barato doque se fossemos nos dois numa excursao atravez de outra agencia.

Os quartos sao novissimos e super confortaveis, porem bem praticos – com uma mini cozinha, inernet, TV a cabo, moveis coloridos e tudo bem direitinho!

O cafe da manha (que estava incluido no preco) foi bem fraquinho de opcoes ocidentais, mas deu pro gasto e tambem fizemos bom proveito da cozinha e maquina de cha/cafe que tinhamos no quarto!

Citadines Xi’An Drum Tower

36 Zhubashi, Beilin District

710002 Xi’an, China

Adriana Miller
6 comentários
10 Apr 2012
24 comentários

Xi’An: a Historia milenar da China do seculo XXI

China, Dicas de Viagens, Xian

Depois de nos encatarmos por Hong Kong, Macau e finalmente cair de amores por Xangai, eu tinha criado uma imagem super romantica da China, onde tudo eh lindo, moderno e funciona super bem. As ruas sao limpas, as pessoas sao sempre simpaticas e educadas, e os menus sempre tem traducao em Ingles!

Ate que… chegamos em Xi’An!

Apesar de sua localizacao geografica la no centrao da China, Xi’An esta longe de ser o fim do mundo: essa “cidade pequena do interior” de apenas 7 milhoes de habitantes entrou no mapa turistico em 1974 quando um fazendeiro descobriu a localizacao secreta do mausoleu do Imperador Qin e apresentou para o mundo os Guerreiros de Terracota – e desde entao, ano apos ano Xi’An eh inundada por turistas – que de passagem – veem ver as estatuas com seus proprios olhos.

O encanto de Xi’An nao acaba por ai, mas nao eh a toa que a grandissima maioria dos turistas que incluem a cidade em seus roteiros o fazem apenas de passagem mesmo, seja em um torturoso bate e volta desde de Pequim, ou usando alguns dos muitos pacotes de viagem que incluem uma visita rapida aos Guerreiros e ocupam o resto do dia visitando restaurantes, lojas de Jade e cha e dancas tipicas pega-turista.

Quando comecei a pesquisar sobre a cidade, sabia que nao teriamos muito oque fazer por la, e a intencao sempre foi realmente fazer uma pit stop estrategico entre Xangai e Pequim. E nao me conformava com as opcoes de passeios para ver os Guerreiros, e o tanto de “tapa buraco” que tais excursoes ofereciam. Depois de desembarcar na cidade, nao tive como conter a sensacao de que a verdadeira intencao provavelmente eh pra “esconder” a cidade de Xi’An!

Mas oque tem de errado com Xi’An? Na verdade nada.

A primeira cosia que nao tem como nao reparar – e se assustar – eh a poluicao.

Mas e nao estou falando da poluicao que vemos em Sao Paulo ou Londres nao – a poluicao eh tao palpavel (e cheiravel!) que quando desembarcamos do aviao nos pensamos que o Aeroporto estava pegando fogo!

Nuvenzinhas de fumaca, um cheiro de queimado esquisito… mas como ninguem parecia assustado, nao ouvimos alermes e nem vimos bombeiros, pegamos nssas bagagens e seguimos em frente.

Na estrada a caminho da cidade a mesma coisa… Nosso taxista nao falava uma unica palavra em Ingles entao nao tinhamos como perguntar de onde vinha aquela fumaca fedida… Mas ficamos debatendo que com certeza a cidade deveria estar passando por alguma fase de incendios ou algo parecido.

Ate que no hotel perguntamos pro recepcionista e ele confirmou: eh a poluicao mesmo! E aparentemente demos sorte de ter pego uns dias de tempo bom!

No dia seguinte, quando fomos visitar os Guerreiros de Terracota pudemos ver o desastre ecologico a luz do dia – a previsao era de ceu claro e ceu azul, mas a cidade estava inteira envolta numa fumaca de poluicao.

A guia que nos acompanhou aos Guerreiros mais uma vez confirmou que Xi’An eh sempre assim, e realmente demos sorte de pegar uns dias de “tempo bom” por la (afinal, dava pra ver o “sol”!!)!

Depois de algumas horas nos acostumamos com o cheiro e a sensacao de “fumaca”, mas nao da pra imaginar oque seria morar numa cidade industrial da China como Xi’An!

Outra coisa que me chamou a atencao em Xian foi o fato de finalmente ver uma China mais… Chinesa – assim mesmo, com todo preconceito que muitas vezes a palavra traz.

Muita, muita gente nas ruas. O tempo TO-DO!

Placas em Ingles praticamente inexistentes, muito engarrafamento (a cena cruzando a rua no meio dos carros no video da China foi la em Xian, depois de mais de 10 minutos plantados na calcada, decidimos arriscar!), ausencia total de organizacao. Sei la, aquela senscao claustrofobica de tudo-ao-mesmo-tempo-agora!

Mas ao mesmo tempo nao queriamos simplesmente nos enfiar num onibus de turismo, dar uma passadinha nos Guerreiros (que ficam bem fora da cidade, a cerca de umas 2 horas) e passar o resto do dia caindo em armadilhas turisticas – queriamos explorar Xian! Por bem ou por mal…

Entao depois de passar a manha toda nos Guerreiros, voltamos pra Xian e resolvemos sair pra desbravar a cidade!

Ficamos hospedados bem no centrao, dentro da muralha, numa localizacao otima! (proximo post falo do hotel com calma)

Nao tivemos problema algum em andar ao Deus dara pelas ruas de Xian, e a verdade eh que numa cidade tao “Chinesa” ficamos foi espantados como ninguem nos dava bola alguma… Depois das experiencias que tivemos em paises como Egito, India, Macau e Bali, achei que logo numa cidade tao desprovida de turistas nos dois seriamos a sensacao de Xian…! Que nada!

Ninguem nem olhava pra gente, passamos a tarde toda completamente invisiveis, sem sermos incomodados, sem nos sentirmos inseguros nem nada! Uma maravilha!

Almocamos, jantamos e pedimos informacoes na base da mimica e sempre aparecia alguem disposto a ajudar com uma ou outra palavra em Ingles. Andamos pra cima e pra baixo com cameras no pescoco sem chamar atencao e achei super facil andar pelas ruas organizadas da cidade.

E conseguimos fazer tudo que queriamos!

Apesar de que hoje em dia Xi’An eh famosa por ser a cidade base para visitar os Guerreiros de Terracota, a cidade na verdade tem uma historia milenar, onde durante muitos seculos foi a cidade base e capital da Dinastia Qin, a primeira Dinastia e Imperador realmente Chines e que dai pra frente moldou a historia da China que conhecemos ate hoje!

E o legado da Dinastia Qin nao esta apenas nas estaturas dos soldados de barro nao!

Foi tambem o Imperador Qin que encomendou a construcao da Muralha da China (cenas dos proximos capitulos!) e transformou Xian numa das principais cidades do Oriente.

Hoje em dia pouca coisa sobrou da epoca Imperial, as oque ainda esta por la, eh realmente impressionante!

A principal atracao da cidade eh sua muralha medieval. Nao, nao eh nenhuma parte da’quela Muralha, mas digamos que foi um bom ensaio!

Xian tem a maior e mais bem conservada muralha medieval da China, cercando todo centro da cidade, com mais de 10 metros de altura e uns 5 metros de expessura!

Na falta de parques, os Xianenses tiram bom proveito de sua muralha – passeios, festas, comemoracoes (quando estivemos la a cidade estava se preprarando para as comemoracoes do Ano Novo Chines) e a atividade principal sao as bicicletas!

A muralha eh tao larga, e sao tantos quilometros de extencao continua, que eh possivel alugar uma bicicleta la em cima e dar uma volta completa na cidade!

(e nas fotos da muralha da pra ver ainda melhor os efeitos da poluicao! Nao parece que eh nevoeiro?! So que supostamente esse dia estava fazendo um lindo dia de Sol…)

Outro atrativo imperdivel sao as duas torres no centro da cidade antiga – a Torre do Sino e a Torre do Tambor.

Hoje em dia elas estao ilhadas no centro de Xi’an, cercadas por poluicao e transito por todos os lados – mas quando foram construidas em 1300 e poucos (construidas durante a dinastica Ming) eram o coracao da cidade, tendo funcoes bem especificas e distintas: A Torre do Sino aunciava o comeco do dia ao nascer do sol, e a Torre do Tambor anunciava o fim do dia, no por do sol.

Ambas estao abertas a visitacao, oque eh uma otima oportunidade de ver os predios e sua arquitetura por dentro, com algumas pecas e moveis historicas em exposicao e toda decoracao minuciosa tipica da China medieval.

Ao longo do dia tambem eh possivel assistir o ensaio do coral de criancas da cidade (apenas em dias e horarios especificos, mas demos sorte de ver um delas!) que eh uma boa amostra da musica e danca Tang tipica da cidade (e que todas as agencias de turismo vao tentar te convencer que vale a pena pagar uma pequena fortuna pra ir num jantar “tipico” e assistir a danca Tang).

Assim como quase todo mundo que passa por Xi’An, nos tambem estivemos de passagem – e realmente seria dificil convencer alguem a ficar mais tempo por la doque o necessario!

Mas achei uma experiencia bem “autentica” ter tido algumas horas a mais pra explorar Xian por conta propria, sem rumo e sem ter que ficar seguindo guias tentando “esconder” a cidade!

 

Adriana Miller
24 comentários