21 Oct 2011
15 comentários

Paris: Le Georges @ Pompidou

Dicas de Viagens, França, Paris, Restaurantes & Cafes

Falar sobre restaurantes em Paris sempre tem um jeitinho de falcatrua – afinal é uma das cidades do mundo onde melhor se come, e em todos os cantos, para todos os gosots e bolsos, sempre tem um bistro escondidinho que o primo-do-amigo-do-colega-do-seu-vizinho foi, recomendou e é sensacional!

Mas por outro lado, como em toda cidade turistica do mundo, tambem tem muita coisa ruim e pega-turista, entao saber onde comer sempre eh uma boa pedida.

No fim de semana em Paris aproveitamos um domingo chuvoso pra passear no Centre Pompidou e almocar no Le Georges, um restaurante de arquitetura moderninha que fica na cobertura do museu e tem uma vista maravilhosa da cidade.

Apesar da chuva e do tempo cinza e escuro, la dentro do Georges o clima parecia ser outro – as paredes de vidro que cercam o salao principal com Paris aos seus pes, inundam o ambiente de luz, e a decoracao moderna faz o balanco perfeito do espaco de “caixote” suspenso. Chega a ser assustador ver o restaurante por fora e se dar conta que vc vai comer “pendurado” la em cima!

A arquitetura e decoracao do interior do restaurante foi elaborada por Dominique Jakob e Brendan McFarlane, e segue o conceito futurista e surrealista, com um toque geometrico, que eh a assinatura do centro Pompidou.

As melhores mesas sao as que estao coladas na janela (a vista!), mas para grupos maiores, voce tambem pode reservar as mesas dentro das “minhocas” do salao – muito ludico! E logo na entrada, no “Le Pink Bar” fica um Vodka Bar, com um menu infinito de cocktails e drinks, pre ou pos jantar.

Na verdade la dentro voce ate esquece da comida, pois a gente se sente num desenho animado… do Salvador Dali!

O menu nao eh dos mais autenticos nao, e apesar do preco, as opcoes sao muito mais no estilo Bistro/lanchonete doque se esperaria de um restaurante desse porte em Paris – mas acho que demos azar de termos ido no almoco de domingo, entao eles ainda estavam servindo num clima meio brunch.

Mas vamos confessar, que num lugar desses, oque importa mesmo eh a vista deslumbrante la de cima!

 

Adriana Miller
15 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!

15 comentários
  1. Ludmy - 21/10/11 - 12h01

    Dri, qual é a média de preço por pessoa? Tem algum restaurante bom e barato em paris para recomendar, ou imprescindível?? Tô indo dia 02 de Novembro… Obrigada pelas dicas,sempre!

    Responder
    • Adriana Miller - 21/10/11 - 12h28

      Depende doque voce pedir… se vai pedir vinho, essas coisas. Mas um prato principal custa uma media de 30/35 Euros, que eh carinho, mas bem na media de Paris mesmo (um prato principal num restaurante mais mais ou menos vai custar uns 20 a 25 pelo menos). No site do restaurante tem um menu que vc pode dar uma olhadinha e ter uma ideia.

      Alem do Les Georges, o Kong (que tambem tem post) tambem eh uma boa opcao de restaurante badaladinho pra uma jantar especial. Quando fui, o jantar pra duas pessoas com vinho (mas sem sobremesa) ficou cerca de 90 euros se nao me engano…

      Responder
  2. viviane velez - 21/10/11 - 15h15

    Eu adoreiiii esse lugar!!! tem uma vista incrível, principalmente ao entardecer. Dri, tipo, o acesso é fácil entao aos pontos turisticos e a famosa ponte e tal…??? o hotel que penso em reservar está, segundo o Booking cerca de 10mim caminhando do centro…assim, n vejo grandes problemas,n? É o Tivoli Prague…vou já já recorrer ao velho e maravilhoso amigo Lonely Planet. Mais uma vez, obrigada. Menina, vamos marcar um encontro de leitoras do Blog em Madrid? ¿ Cómo lo ves? Aposto que a galera ia gostar heim! Fica a dica quando respires um pouco de tanto trabalho. Xerocas flor!!!

    Responder
    • Adriana Miller - 21/10/11 - 16h06

      Sim, tudo tudo walking distance… A cidade eh bem pequenininha, da pra fazer tudo andando. Ponte, castelo, praca do relogio astronomico etc.
      Sera que tenho tantas leitoras assim em madrid pra “encher” um encontro?! :-)
      O problema das minhas viagens a Madrid ultimamente eh que sao vapt-vupt, cheo num dia, trabalho o dia todo, sempre rola evento/jantar de trabalho e no dia seguinte ja vou pro escritorio de mala e cuia e direto pro aeroporto no fim do dia…
      Mas quando as cosias estiverem mais calmas, quem sabe? :-)

      Responder
  3. Mari - 21/10/11 - 17h20

    Oi Dri! Tudo bem? Adoro seu blog – leio praticamente todos os dias!! Quero te fazer uma pergunta que não tem nada a ver com o post, mas é algo no qual eu fico pensando… vc aprendeu o inglês americano, certo? E quando chegou aí no UK como foi a adaptação com o sotaque? Vc incorporou o sotaque britânico, ou ficou com o seu americano mesmo? heheheh é uma pergunta meio nada a ver, mas já passei um tempinho estudando no UK e sempre pensava “meu deus, como eu faço pra mudar de sotaque??” hehehe um grande bjo Mari

    Responder
    • Adriana Miller - 21/10/11 - 18h28

      Bem, sotaque não se perde, nem se aprende…
      Na verdade eu tenho sotaque de Brasileira, de extrangeira. Voce pode aprender o Ingles com uma intonação assim ou assada (Americana, Australiana, Britanica, etc), melhorar bastante a pronuncia, mas o sotaque sempre sera de extrangeiro.
      No meu caso eu aprendi Ingles com Intonancia Americana, entao os Ingleses percebem isso, e volta e meia alguem me pergunta se eu aprendi Ingles Americano. Mas para Americanos (o Aaron, por exemplo) eu simplesmente tenho “sotaque”.
      Eu não acho que eu tenha o sotaque tipico de Brasileiros, e nunca fui’identificada’ como Brasileira por meu sotaque, até porque eu aprendi Ingles muito cedo, sempre falei e pratiquei bastante e tal, e com os muitos anos morando fora, a pronuncia vai melhorando cada vez mais, mas sei que sempre, sempre terei um “sotaque”. Pode não ser um sotaque facilmente identificavel, mas sempre teri sotaque.
      e sobre “trocar” de sotaque, eu acho uma tarefa impossivel e um tanto quanto ridicula… sempre fica forçado, e os locais sempre, sempre vão conseguir identificar os “resquicios” de uma sotaque de lingua extrangeira, e por tanto te identificar como “gringo”. Eu pessoalmente tenho verdadeiro PAVOR de extrangeiros que forçam um sotaque local, acho que fica muito fake mesmo.
      Sou imigrante e tenho sotaque. Sempre terei e isso faz parte de quem sou. É meu diferencial.
      O importante é ter boa pronuncia, falar a lingua fluentemente, ter bom vocabulario.
      O resto é o resto.

      Responder
  4. Raquel Guimarães - 21/10/11 - 19h20

    Oi, que delícia o Pompidou não? Não fui nesse restaurante, mas me deu vontade…bjs

    Responder
  5. Viviane - 21/10/11 - 22h15

    Dri, falaaaaa sério!!! Tens leitoras por todas as partes criaturinha!!! Bom, pelo menos quando voltar por Madrid dá um sinal de fumaça pra conhecer a leitora que vos fala, ela promete umas tapas por aqui pertinho da Zara mais próxima, que tal???
    Xerus e thanks again!!!

    Responder
  6. Patricia A. - 22/10/11 - 18h12

    Entao nao eh caro comparando com restaurante bom em Zurique….2 pessoas sem sobremesa e sem bebida alcooloica sai em media de 90 euros!

    Responder
  7. Bia Nunes - 31/10/11 - 16h07

    Oi Dri!!! Conheci seu blog no sábdo dia 29/10 (pelo google) e já estou apaixonada, adorei tudo!!! A maneira como vc escreve e os detalhes são demais, parabéns. Vou para Paris e Italia em abril do ano que vem e já estou fazendo meu roteiro diário e com suas dicas ficou muito fácil!!! Posso fazer duas perguntinhas… eu quero muito ir um dia na Disneylandia, vc recomenda?? E no mês de abril foi pegar que tempo ai?? Obrigada e bjos Bia

    Responder
    • Adriana Miller - 31/10/11 - 16h16

      OI Bia,
      Seja bem vinda!
      Em Abril o tempo eh bem instavel, pois vc pode dar sorte de pegar uma epoca linda de primavera, ou pegar frio e chuva todos os dias. Melhor deixar pra verificar a previsao do tempo uns dias antes da sua viagem.

      Quanto a Disney Paris, eu ja fui duas vezes (uma vez com 15 anos, e outra com 25) e acho que eh uma viagem relativa, que depende demais das suas expectativas.
      Com certeza eu aproveitei muito mais a Disney Paris quando fui da primeira vez aos 15 anos. Com 25 achei bem chatinha.
      Alem disso ja fui outras vezes na Disney da Florida, e na comparacao a Disney de paris eh super pequena, e eu achei ate meio mal cuidada…
      Se vc nunca foi a Disney nenhuma, acho que super vale a pena.
      Se vc ja foi em alguma Disney dos EUA, mas ama a Disney mais que tudo, entao provavelmente tb vai valer a pena.
      Mas se voce ja conhece as outras e nao considera a Disney o melhor lugar do universo, entao eu dispensaria a Disney paris sem pestanejar.
      Paris eh linda demais, e tem coisa legal demais pra fazer. Eu pessoalmente acho que para adultos, “gastar” seus dias em paris pra ir na Disney um desperdicio.
      mas isso eh muito subjetivo, neh?
      Se eh uma cosia que voce quer muito fazer, entao vai fundo!

      Responder
      • Bia Nunes - 31/10/11 - 19h14

        Oi Dri, obrigada pelas boas vindas!!!
        Adorei suas dicas. Eu conheço a Disney da Flórida (tb qdo tinha 15 anos) e foi o máximo. Mas acho que agora com 29 anos e junto com meu marido tenho diversos outros programas para aproveitar junto com ele em Paris e deixo a Disney para quando for aos EUA…rsrsrs.
        Obrigada e até….
        Bia

        Responder
  8. […] – e acabei descobrindo que nao só o Le Matignon faz parte do mesmo grupo de hoteliers que o Les Gerorge mas eles ainda tem mais uma dezena de outros restaurantes super bacanas em Paris, variando dos mais […]

    Responder
  9. […] meioco do Les Marais, outro endereco que nao da pra esquecer no bairro eh o Museu de arte moderna Pompidou, que fica a pouquissimos minutos andando do Hotel de Ville, e eh imperdivel (e o restaurante na […]

    Responder
  10. […] inclusive varios restaurantes bem bacanas em Paris (como por exemplo Les Ombres , o Les George, ou o Germain) sempre tem otimas opcoes de “fomrule midi” na hora do almoco, que eh […]

    Responder