21 Dec 2012
36 comentários

licença Maternidade no UK

Baby Everywhere, Gravidez, Recursos Humanos, Trabalho, Vida na Inglaterra, Vida no Exterior

Nos ultimos meses muita gente me perguntou detalhes e me pediram pra contar como funciona a Licenca Maternidade no UK. Eu fiquei sem tempo, e ai enrolei, enrolei… mas como hoje eh meu ultimo dia de trabalho por muito e muitos meses, achei que seria uma boa finalmente falar um pouco sobre isso.

20121221-150751.jpg

Pra comecar um esclarecimento, pois sempre ouco por ai o pessoal falando sobre “la fora” ou “na Europa”, como se todo o continente pudesse ser classificado como uma coisa soh.

Por aqui, temos paises com politicas otimas, porem a maioria esta na media mundial ou ate mesmo um pouco pior.

Ok, que nao da pra comparar com a politica familiar vergonhosa dos EUA por exemplo, mas muito se engana quem esta no Brasil e acha que “na Europa” a coisa eh muito melhor! (quem acompanha o blog ha um tempinho deve lembrar que minha dissertacao de mestrado foi justamente sobre a licenca maternidade nos EUA!)

Na verdade, tirando os paises Escandinavos e o Reino Unido, a politica Maternidade/Paternidade dos paises Europeus eh bem homogenea – a maioria dos paises oferece apenas cerca de 4 meses para maes e 2 semanas para pais. Ou seja, praticamente o mesmo oferecido na iniciativa privada no Brasil, por exemplo.

O que varia entre um pais ou outro eh justamente os “plus a mais”, ja que no geral a Europa eh bastante generosa com politicas “familiares” e a lei trabalhista tende a ser muito amigavel a familias e o balanco vida/trabalho dos trabalhadores.

Entao em alguns paises eh possivel passar anos trabalhando em meio periodo para cuidar das criancas (e alguns paises ate oferecem seguranca de emprego durante esse periodo, entao trabalhar a menos pra cuidar da familia garante que vc nao seja demitido), outros paises permite que voce amplie a licenca familiar por um certo periodo nao remunerado, e por ai vai.

Ja na Inglaterra especificamente, as leis trabalhistas nao sao tao protecionistas quanto em alguns paises Europeus (principalmente os paises Latino-Europeus), mas a licenca maternidade e paternidade estatutoria (a garantida por lei) ja comeca bem mais confortavel que seus vizinhos Europeus.

Pra comecar que por lei, maes tem direito a 52 semanas de licenca (um ano completo) e pais tem direito a 26 semanas (6 meses) de licenca paternidade.

Mas eh claaaaro que nem tudo eh tao lindo e simples assim, e apesar de termos o direito de tirar ese tempo todo de licenca, a grandissima parte desse periodo eh nao remunerado, oque significa que a maioria das pessoas tira apenas uma fracao desse periodo.

E o grande variante eh justamente seu empregador, e obviamente sua situacao financeira e familiar.

Se voce trabalha para uma boa empresa (geralmente as multinacionais) com politicas generosas de Recursos Humanos, a sua empresa vai oferecer um “top up” no seu salario, garantindo X meses de licenca remunerados. Ou se a renda familiar se segura numa boa com apenas 1 salario, entao a coisa tambem fica mais facil por mais tempo.

Mas a lei, no papel funciona assim:

Licenca Maternidade:

A Licenca Maternidade na Inglaterra dura 52 semanas e eh dividida da seguinte maneira:

6 semanas iniciais onde o National Insurance (o equivamente ao nosso INSS ou Seguranca Social) paga 90% do seu ultimo salario – caso voce esteja trabalhando – ou entao te da uma “bolsa auxilio” de £125 Libras por semana (caso vc nao esteja trabalhando, mas seja contribuinte e pague impostos).

Depois dessas 6 semanas iniciais, a mae ainda tem direito a mais 33 semanas, totalizando 39 semanas chamadas de “Ordinary Maternity Leave”. Essas 39 semanas (mais ou menos 9 meses) eh o periodo “Pago” da licenca, porem o Governo so paga uma bolsa auxilio semanal, que para o ano fiscal 2012/2013 eh de apenas 125 Libras por semana, ou cerca de 500 Libras por mes.

Depois desse periodo, a mulher ainda tem direito a mais 13 semanas (mais 3 meses) de “Additional Maternity Leave”, onde ela retem todos os seus direitos trabalhistas porem eh um periodo de licenca nao remunerado.

Ou seja, para a grandissima maior das pessoas, nao eh possivel viver na Inglaterra com um salario de 500 Libras por mes, ainda mais considerando os custos extras de um bebe pequeno, e portanto a muitas mulheres voltam a trabalhar 3 ou 4 meses depois do nascimento do bebe.

Porem, se voce trabalha para uma boa empresa na iniciativa privada, com certeza voce tera direto a “Occupational Meternity Leave”, que eh um beneficio privado e facultativo a definir por cada empresa, que complementa seu salario durante parte ou a totalidade do periodo de sua licenca maternidade “Ordinary”.

Tenho varias amigas gravidas aqui na Inglaterra no momento, todoas com bons empregos em empresas multinacionais, e as politicas de suas empresas variasm entre 3 meses de licenca paga a 9 meses de licenca paga – mas a media do mercado eh pagar pelo menos 6 meses de salario integral.

Licenca Paternidade:

Em 2010 o governo Britanico mudou suas leis de Licenca Paternidade e os homens agora tambem tem direito a tirar ate 26 semanas de licenca paterndade, porem, assim como a licenca maternidade, as regras (e o pagamento) nao eh assim tao generosa quanto parece ser.

O padrao do mercado eh que apenas a primeira ou as 2 primeiras semanas apos o nascimento do bebe sejam remuneradas. Depois disso, as 24 semanas seguintes sao classificadas como “Ordinary Paternity Leave”, e assim como para as mulheres, os pais passam a ter direito apenas a receber uma bolsa auxilio do governo de 125 libras por semana.

Alem disso, qualquer semana (alem das 2 semanas iniciais) tirada pelos pais, eh descontada das semanas da licenca da mae. Ou seja, se o pai da crianca requisitar tirar 26 semanas de licenca, a mae da crianca so tera direito a 26 semanas, em vez do ano todo.

Ainda ssim eh bom, ja que daria a oportunidade a ambos os pais terem uma participacao igualitaria na criancao dos filhos durante os primeiros 6 meses de vida da crianca (Ou os 12 primeiros meses, caso o pai e a mae nao saiam de licenca ao mesmo tempo. Eque eh a intencao da politica), mas em termos praticos, o corte na renda familiar faz com que o beneficio nao seja muito utilizado – e sem falar no preconceito que ainda rola em relacao a homens que querem participar tao abertamente na criacao dos filhos a ponto de abrir mao da carreira por 6 meses.

Afinal, por mais que as mulheres reclamem de um certo “preconceito” em relacao a oportunidades de carreira e tal, essa ausencia eh bem aceita e ate mesmo esperada, mas ja os homens nao tem a mesma vantagem.

No outro dia eu estava conversando com uma colega aqui no RH, e dos quase 10 mil funcionarios que meu banco tem na Inglaterra, desde a mudanca da lei apenas 1 unico homem pediu licenca paternidade!

No nosso caso em particular a empresa do Aaron so paga por 2 semanas de licenca paternidade, entao eh apenas esse periodo que ele vai tirar pra ficar em casa 100% comigo. E apesar de que ele negociou um periodo de trabalhao mais “leve” e sem viagens nos primeiros meses, seu chefe (que eh Alemao) ficou horrorizado com a sequer possibilidade de que ele teria direito a pedir 6 meses de licenca! Ou seja, essa possibilidade foi de cara descartada, pra nao colocar sua carreira em risco.

E na minha empresa eu tenho direito a 6 meses de salario integral durante minha licenca, entao o padrao eh que mulher nenhuma volta a trabalhar antes dos 6 meses iniciais.

Eu dei aviso previo de 1 ano, so por via das duvidas, e potencialmente poderia ficar um total de 15 meses de licenca – considerando que minha data prevista de retorno eh dia 29 de Dezembro de 2013, e ainda tenho 6 semanas de ferias em 2013 e mais 6 semanas de ferias em 2014. Entao caso queira, ou precise, poderia ficar de licenca maternidade ate o inicio de Abril de 2014!!! Coisa de louco!

Mas na realidade, estou me preparando psicologicamente pra voltar a trabalhar la pra Setembro ou Outubro do ano que vem, e ja negociei com meu chefe que quando voltar, provavelmente voltarei num esquema flexivel, trabalhando 2 ou 3 dias em casa por semana, e os outros 2 ou 3 dias no escritorio ou viajando., e usarei parte das minhas ferias para trabalhar em esquema part time, mas recendo salario integral por mais uns meses.

Por sorte o Aaron conseguiu negociar o mesmo esquema com a empresa dele, e quando eu voltar a trabalhar ele tambem vai ficar em casa 2 ou 3 dias, e assim poderemos organizar nossas rotinas de trabalho e viagens a trabalho de maneira que nossa bebe nunca fique uma semana inteira sozinha em casa com a baba sem um dos pais sempre em casa durante o dia, garantindo que esta tudo bem, nem teremos que manda-la pra creche com 6 ou 7 meses de vida (que eu ainda acho muito noviha pra mandar pra creche).

Como isso tudo vai se desenrrolar na pratica, so o tempo dirah (sera que vou querer voltar a trabalhar antes de outubro, ou vou acabar querendo ficar de licenca ate Abril do ano seguinte?! Vamos nos acostumar com baba, ou vamos acabar preferindo uma creche?!), mas esse eh o plano no momento e esses sao nossos direitos e beneficios.

Entao tenho me sentido incrivelmente sortuda e felizarda de morar num pais que respeite tanto os direitos familiares, e por trabalhar numa empresa tao generosa em suas politicas e beneficios, onde nao terei que escolher entre uma carreira ou o bem estar de minha filha.

 

Adriana Miller
36 comentários
Comente pelo Facebook
Escreva o seu Comentário
* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui!

36 comentários
  1. Raquel Wanderley - 21/12/12 - 15h48

    Que bom mesmo que as coisas são assim por aí! Ainda não tenho filhos, mas uma das minhas preocupações é exatamente essa, ter que voltar a trabalhar com o baby ainda pequeno. Sou servidora pública no Brasil e já temos 6 meses de licença garantidos, apesar que os pais só tem 5 dias (absurdo!) Um jeito que algumas servidoras dão é pedir uma licença de até 3 anos, mas aí é sem remuneração… Mas, já é alguma coisa…
    Quero aproveitar e desejar um ótimo Natal pra vcs e estarei orando para que Deus abençoe esse novo ano tão especial!! Beijos! Raquel Wanderley

    Responder
  2. Ana - 21/12/12 - 16h14

    Você tem sorte na vida mesmo… Eu quando quiser ter filhos e anunciar na empresa que estou grávida, certamente terei redução de carga horária durante a gravidez (com o correspondente corte salarial) e terei uns míseros meses pra ficar em casa com o meu bebê, tendo que colocá0lo em creche logo em seguida. Ajoelhe e agradeça a Deus todos os dias por tê-la feito tão abençoada assim, viu.

    Responder
  3. Maitê - 21/12/12 - 17h04

    Nossa, muito interessante este esquema de licença maternidade e paternidade no UK.
    Aqui no funcionalismo público, temos direito há 6 meses remunerados integralmente. Na empresas privadas, geralmente são apenas 4 meses. Agora para os pais … são 5 dias corridos !!! Ou seja, se a criança nascer no Sábado, vc “perde” 2 dias.

    Querida, não sei se terei tempo de entrar na internet de novo, então … Desejo para vc e para esta família linda que está surgindo, um Natal maravilhoso e um 2013 mais que perfeito ao lado da princesinha da casa.

    Beijinhos

    Responder
  4. Dani Bispo - 21/12/12 - 17h05

    Uau! Realmente felizarda! Também não tenho filhos mas vejos as amigas que têm sofrendo muito para deixar um bebê de 4 meses em casa e voltar a trabalhar. A legislação estava para ser mudada de 4 para 6 meses na iniciativa privada (que deveria ser o mínimo) mas não sei porque a mudança da lei ainda não aconteceu. O problema é que os empresários tem muita força por aqui. Infelizmente.

    Responder
  5. Michelle - 21/12/12 - 17h15

    Voce realmente eh uma pessoa abencoada… conseguiu organizar bem direitinho pra passar bastante tempo com a baby. Parabens e muita saude pra familia! Como voce disse, aqui nos EUA a situacao eh vergonhosa… tenho uma amiga que voltou ao trabalho 5 dias apos ter dado a luz por receio de perder o emprego e nao ter como sustentar a filha. Uma boa hora pra voce! Espero que goste do presentinho que mandei pra voces.

    Responder
  6. Lílian - 21/12/12 - 18h18

    Interessante a lei de licença materinidae/paternidade, bem flexivel para os funcionários e familiares,

    Dri, um ótimo Natal pra toda a sua familia, que a sua bebêzinha, venha ao munda com muia saúde!

    Um Beijo Grande.

    Responder
  7. Hanna - 21/12/12 - 19h43

    Olá Adri,

    Nao nos conhecemos mas acompanho seu blog pelo rss e adoro!
    Te desejo tudo de maravilhoso em 2013 e que o bebe venha cheio de saude e encha a sua vida de alegria.

    bjs e feliz natal!

    Responder
  8. Virginia Neves - 21/12/12 - 20h00

    Como disseram aí em cima, servidores públicos têm 6 meses de licença. Foi o que eu tirei. Ainda poderia somar minhas ferias e licença prêmio, mas preferi voltar e aproveitar essas folgas com o bebê, quando já estivesse cansada da rotina casa-trabalho-casa.
    E ao contrário do que disseram acima, aqui a iniciativa provada pode dar 6 meses de licença, basta optar por isso. Mas muitas se negam. E muitas mães tem medo de ficar tanto tempo fora e depois serem dispensadas quando a estabilidade da gravidez acabar, já que poderia ficar “evidenciado que elas são dispensáveis”.
    Talvez a gravidez e filhoa sejam mesmo as melhores coisas a vida. Amo meu filhos sou muito feliz com ele. Mas é a fase mais difícil, sem duvidas. Ainda mais para aquelas que nao contam com a estabilidade no emprego.

    Responder
  9. Liliana - 21/12/12 - 20h28

    Com certeza você é felizarda! Mesmo aqui muita empresa paga o mínimo. E posso dizer de cadeira, né? Mas como vc disse, para isso precisa de um bom RH. Boa sorte e tudo de melhor nessa nova fase da vida de vocês! Com tudo assim tão encaixadinho tudo fica mais tranquilo e mais fácil de curtir cada minuto com a pequena.

    Responder
  10. Marilia - 22/12/12 - 00h09

    Não sei porque o chefe alemão ficou horrorizado. Moro lá (estou de férias no Brasil) e os homens podem compartilhar a licença com a mulher. Meu marido tem um colega de trabalho que neste momento está em casa com o neném enquanto a mulher voltou ao trabalho. São 12 meses de licença com salário integral por lá, podendo ser alternado entre pai e mãe. A mãe pode ainda estender até 3 anos, mas aí o salário é emega reduzido. Minha ex-chefe fez o mesmo. Quando o neném fez 7 meses ela voltou ao trabalho e o marido ficou em casa com o bebê por 3 meses. A Alemanha é uma mãe no quesito licença maternidade/paternidade. O chefe do seu marido está esquecendo às origens, rs.
    Feliz Natal e muita saúde pra vocês. Que a sua baby venha com muita saúde.

    Responder
  11. Themis - 22/12/12 - 01h12

    Poxa…sorte o UK valorizar tanto assim a família ne?!
    No Brasil foi aprovada uma lei q da benefícios fiscais altíssimos as empresas privadas q derem 6 meses de licença e nem assim a maioria concede esse período.

    Responder
  12. patriciauk - 22/12/12 - 01h13

    otimo texto! o seu.penúltimo parágrafo disse tudo, e melhor preparar mas a gente nunca sabe o q poderemos sentir, eu depois de 6 meses de licenca já sabia q não queria voltar e fiquei em casa por 8 anos!

    bjos x

    Responder
  13. Dany - 22/12/12 - 01h18

    To doida pra ela Nascer logo, to com pressentimento que ela vem pro reveillon,as prepare-se, nunca esqueço o que meu medico me disse qdo estava para ter meu filho. Perguntei qdo poderosa voltar pra ginastica, ele me disse, voltar vc pode em 1 mes, mas me diz depois, se vc tera tempo, e garanto pra vc, suas viagens deixando ela em casa como vc mencionou?? Vc não vai conseguir, pelo menos no 1 ano, lembre-se de mim.
    Muita boa hora pra vc, quero muito ver a carinha da baby everywhere, felicidades pra vc e o Aaron e que o proximo post seja dela. Feliz Natal!!!

    Responder
  14. Dany - 22/12/12 - 01h19

    desculpe, saiu tudo errado, maldita mania de digitar dirigindo.
    beijss

    Responder
  15. Elis - 22/12/12 - 01h45

    Nossa… que benção… agradeça a Deus.
    O maior importante na vida do bebë não é nenhum bem material que pode comprar e sim o carinho e presença dos pais. Não existe nada mais importante… esses momentos nunca voltaram.

    Responder
  16. Renata Gomes - 22/12/12 - 05h02

    Adriana, fiquei muito feliz em saber que a política da licença maternidade/paternidade da Inglaterra e em outros países citados por vc possibilitam aos pais o convívio diário om o filho nos primeiros meses, 1 ano de vida, o que é primordial para ambos. Lembro dos empresários daqui revoltados quando surgiu a proposta para o aumento da licença de quatro para seis meses. Que absurdo! Como se eles não tivessem mulheres, filhas que terão netos etc. Curta e aproveite este momento que o seu emprego proporciona. Como a maioria das coisas daqui, ao invés de seguirem o modelo daí, preferem seguir os Estados Unidos.
    Enfim, Feliz Natal e um Ano Novo repleto de alegrias para toda a sua família, incluindo, claro, a pequena que está chegando.

    Responder
  17. Maria Carolina - 22/12/12 - 11h26

    Como servidora pública estadual, tenho 6 meses de licença maternidade, 3 de licença amamentação e ainda posso juntar 1 mês de férias ou licença prêmio, então, no total, posso ficar 10 meses fora. Tenho amigas da iniciativa privada que deixaram seus filhos 12h por dia na creche a partir dos 4 meses. Dá dó, mas as crianças se acostumam rapidinho com a creche tb. Feliz Natal para vc!!!

    Responder
  18. fe costta - viaggio mondo - 22/12/12 - 13h26

    Nossa Dri, achei muito bom!
    Aqui em Dubai eh uma vergonha, veja bem:
    45 dias remunerados (para quem tem menos de 1 ano de trabalho sao 30 dias). A mae pode ainda ficar mais 3 meses de licensa, porem eh nao remunerada, o famoso unpaid leave…. nobody deserves! :(
    Eu voltei a trabalhar com 2 meses e meio (45 dias de licensa mais um mes de ferias). Ao menos consigo vir almocar em casa e ver o pequerrucho mais um pouquinho ao longo do dia! ;)
    Beijos e bom natal!

    Responder
  19. Brunainglaterra - 23/12/12 - 11h06

    Oi :) acabei de encontrar seu blog. Muito bom, por sinal. Parabéns!

    Eu me mudei pra UK há 4 meses e trabalho como Nanny. No momento trabalho com uma bebê de 8 meses. A mãe teve 9 meses de maternity leave e está voltando a trabalhar part-time agora. Mesmo trabalhando às vezes full day (10 horas), ela tem uma pausa de duas horas no almoço, pra voltar pra casa e amamentar. Acho o máximo.

    Na Alemanha está pra ser votado uma ajuda de custo extra (além do já ganho para maternity leave) para pais ficarem em casa criando os filhos até os 3 anos de idade! Isso por que atualmente a demanda de crianças é muito, mas muito maior do que a quantidade de Nurseries e childminders/nannies/childcarers.

    Eu, como ‘cuidadora de crianças’, apoio mães workaholics hahaha :P

    Beijos

    Responder
  20. Jackie - 23/12/12 - 13h14

    Dri, que bom que vc conseguiu se organizar no trabalho e podera cuidar da filhota num esquema tranquilo no primeiro ano e que bom que sua empresa concede uma boa licença. A licença maternidade é uma das minhaas preocupações, isso pq sou PJ aqui no Brasil. Sempre detestei a idéia de voltar a trabalhar com horário e carteira assinada na minha área por aqui (são vagas que pagam pouco e exigem uma carga alta), mas agora o fato de não ter a licença é um fator que vem pesando bastante.No entanto, acho que so voltaria pra uma empresa privada grande e com um bom pacote de beneficios ou pro setor público, que dá 6 meses e tem estabilidade. Pq morro de dó das minhas amigas que trabalham no setor privado em empresas pequenas/médias/nacionais: a maioria volta com 3 meses e pouco, já que quase sempre saem um pouco antes do parto. Os bebês vao com 4 meses pra creche, sem contar que creche aqui pela zsul anda escassa e cara. Então, nao sei se compensa deixar o bebê sem a mãe com 4 meses por um salário que vai ser muito consumido com a creche. nao tenho filhos, mas imagino que deva ser mt difícil fazer essa escolha. Realmente acho que deveria ser obrigatório pelo menos os 6 meses em casa com salario integral pra mãe. pra mim é o minimo pra tranquilidade da mae e bem-estar do bebê. é triste ver que isso nao é a realidade. Por enquanto eu sigo como PJ, fazendo um pe´de meia pro período e vejo como ‘vantagem” poder trabalhar de casa e em uma carga que eu escolha durante este período. Mas sei que a realidade com um bebe em casa é uma surpresa e pode ser que eu nao consiga trabalhar at all, e aí, né? Uma preocupação isso. bjs e bom natal e reveillon pra vcs!

    Responder
  21. Beti - 23/12/12 - 17h14

    Que maravilha poder ficar com o bebe sem prejudicar sua carreira.
    Mas como funciona o esquema com babá? Você pega em alguma agência? Elas são recomendadas? Boa sorte, e desejo que dê tudo certo, que ela venha cheia de saúde, que é o mais importante.

    Responder
  22. anna - 23/12/12 - 23h56

    nao entendi pq o chefe do seu marido ficou horrorizado!! como a Marilia comentou , a Alemanha eh um exemplo de licenca maternidade para mulheres e homens…. o chefe dele deve estar muito por fora de como eh na Alemanha entao!!

    feliz natal e prospero ano novo!!

    Responder
  23. Manoela - 24/12/12 - 03h26

    Caramba que legal Dri!!! E eu achando que a gente tava bem aqui… bom saber que é respeitada essa ligação mãe e filho dessa forma e que vc vai poder curtir bem o filhote.
    Bjoss

    Responder
  24. Wilma - 24/12/12 - 12h01

    Que bacana Dri, lendo seu post vejo que o Mundo ainda tem jeito, saber que um país ou países tenham essa visão de dar a família tranquilidade para cuidar de sua prole,é um grande investimento na sociedade futura, porque isso garante de certa forma laços afetivos e efetivos. Nossa lendo parece até Utopia, lembro da minha licença que foi acima da média e ainda assim o estresse que era deixar filha com avó, creche, babá…quantas preocupações e sustos poderiam ser evitados pra minha tranquilidade e consequentemente serem revestidos em mais atenção a minha filha, em fim, tudo se ajeita. Fico feliz em saber que você fez belas escolhas e hoje colhe os frutos e compartilha aqui para sabermos que o mundo pode ser muito melhor!! Felicidades, Boas Festas e uma Boa Hora!!

    Responder
  25. MARIZETE FORTUNATO DA SILVA - 24/12/12 - 19h51

    Você é uma pessoa muito inteligente e organizada, porém, o fator sorte de trabalhar em uma boa empresa, conciliar com o trabalho do AAron, realmente é muito tranquilizador. Desejo que tudo corra bem e que nasça uma criança saudável e de alma alegre para completar sua família. Eu já lhe escrevi uma vez dizendo que, os filhos (Tenho três) são a melhor parte desta nossa vida. Beijos. Muitas felicidades, além de um ótimo Natal e Feliz ano Novo. Marizete

    Responder
  26. Luciana Misura - 28/12/12 - 05h47

    Que beleza o esquema dai! Nem se compara com a vergonha que e aqui nos EUA! Mas realmente e impossivel saber se voce vai ter vontade de voltar a trabalhar antes ou depois, eu lembro que quando a Julia estava pra nascer eu tinha a mesma duvida. So o tempo vai responder…e o temperamento da sua baby, se voce achar uma boa baba que te de confianca, se a baby tiver uma boa saude e quase nao ficar doente, tem muitas variaveis nessa historia toda alem da “vontade” da mae ;-)

    Responder
  27. […] comecei a planejar minha licença maternidade, eu sabia que queria ter uns dias/semanas de folga antes de emendar a labuta no escritório com a […]

    Responder
  28. Roberta - 21/02/13 - 23h51

    Olá,
    achei seu blog enquanto pesquisava sobre “coisas boas de morar na Inglaterra”…
    tenho cidadania europeia e estou planejando me mudar pra esse país tão lindo e frio (bléh!).
    Desculpe dizer, mas não concordo com o “sortuda” que disseram sobre você, bem a não ser que um dia do nada tenha vindo alguém na sua casa te oferecer casa, comida e roupa lavada na Inglaterra! hahahahaha Como isso é meio difícil, acho que você deve ter mais mérito do que sorte, pois preparar a vida e se mudar pra um país bem diferente do seu deve ser bem difícil…
    Estamos pesquisando muito sobre a vida por aí, mas não sobre Londres, cosmopolita demais pra mim! Não aguento mais o Rio! hahahahaha
    Bem, seu blog me deu muitas, e boas, informações sobre a vida por aí!
    Obrigada!
    bjs
    Roberta

    Responder
  29. Joana - 27/02/13 - 21h52

    Ola.
    Gostaria de compartilhar a licença maternidade na França. Por aqui o esquema é o mesmo só que ao invés de licença com ajuda do governo é de 3 anos e não 1 ano como você explicou na Inglaterra. Apos esses 3 anos a empresa é obrigada a aceitar o funcionario na mesma posição que antes. Essa licença é valida ou para mãe ou para o pai.
    Um abraço

    Responder
  30. Veronica - 16/11/15 - 05h19

    Oi Adriana, td bem? Tenho uma dúvida… Se a empresa paga o Occupational Meternity Leave, o governo deixa de pagar as seis semanas (e as demais?). Ou os valores sao acumulados?

    Outra coisa, se vc começa a trabalhar, e uma semana depois descobre estar gravida… eles podem te mandar embora? Eu nao fiz nenhum tipo de exame medico, nao pediram… Sendo que estou ha pouco tempo no Reino Unido e eu to começando a contribuir agora…

    Estou procurando nos sites oficiais do governo, mas ainda me confundo um pouco… por isso agradeceria a sua ajuda!!

    Obrigada!

    Responder
    • Adriana Miller - 16/11/15 - 11h35

      Sim, podem te demitir. As leis trabalhistas no Reino Unido nao sao tao estritas, principalmente se ouver uma disputa em relacao a sua “honestidade” de ter escondido a gravidez durante o processo seletivo. (nao demissao por “estar” gravida, mas no sentido de que gravidez nao da seguranca empregaticia – ou seja, nao muda o status da funcionaria. Voce continua sendo tratada como qualquer outro funcionario da empresa, e se eles acharam que precisam te demitir ou “make redundant”, o fato de estar gravida nao te da nenuma seguranca nem garantia a mais. Ento por exemplo, como voce acabou de comecar na empresa, e eles acharem que voce nao teve uma boa performance e nao confirmarrem seu “probation period”, voce podera ser demitida normalmente, independente da gravidez).

      Se a empresa paga OML nao muda seu direito ao Statutory Maternity Leave, pois na verdade esse pagamento vira um “reembolso” a empresa pelo valor a mais que eles pagam as funcionarias.

      Mas geralmente o dieito a SML eh vinculada ao seu status no National Insurance e seu periodo de contribuicao, entao voce teria que entrar em contato direto com eles para saber se voce ja se classifica para receber o SMP ou nao.

      Responder
  31. Lu Castro - 27/01/16 - 22h09

    Oi Dri,

    Voce sabe informar se aqui em Londres existe algum “income protection insurance” pra maternity leave?

    Obrigada,
    Luciana

    Responder
    • Adriana Miller - 06/07/16 - 15h33

      Do governo?
      Não, so a Statutory Maternity Pay mesmo.
      Mas talvez algum seguro ofereça isso, como substituição de uma paternity pay top up. (eu tenho esse seguro para caso de demissão ou doença grave, mas pessoalmente nunca ouvi falar em income protection para licença maternidade)

      Responder
  32. Rosalinda Goncalves - 01/11/16 - 23h05

    Boa noite. Conheci o seu blogue hoje e muito interessante. mas ja agora como ficam aquelas mulheres qaue estao gravidas e estao ca a trabalhar a 1 ano. como elas ficam com esta situacao do brexit.

    Responder
    • Adriana Miller - 02/11/16 - 20h02

      O Brexit ainda não foi aprovado, então não saberemos o que vai mudar quando todo o processo for finalizado.
      Quanto ao seu tempo de trabalho, isso vai depender das políticas internas de seu empregador, e a quanto tempo você contribui para a National Insurance na Inglaterra.

      Responder
  33. […] anos atras, eu escrevi alguns posts sobre como funciona a licenca maternidade no Reino Unido, e como foi a minha experiencia de voltar a trabalhar depois que a Isabella […]

    Responder